Pesquisa japonesa revela efeitos negativos ligados a videogames

Estudo mostrou que quanto mais tempo as pessoas passam jogando videogames, mais graves são os efeitos na sua vida

Videogame: lazer que pode ser bem perigoso para a saúde mental. Crédito: Rovena Rosa/Agência Brasil

Uma pesquisa feita no Japão apontou os efeitos negativos sobre o trabalho, estudos e a saúde daqueles que ficam longas horas jogando videogames.

O estudo foi conduzido pelo Centro de Medicina e Vícios de Kurihama, da Organização Nacional Hospitalar, e entrevistou aleatoriamente pessoas em todo o Japão. Participaram do estudo mais de 4.400 indivíduos com idade entre 10 e 29 anos e que jogaram videogames no último ano.

Ao serem perguntados quantas horas jogavam em dias de semana, 40% disseram jogar menos de uma hora. Cerca de 27% contaram que passam entre uma e duas horas, enquanto 14% jogam de duas a três horas. Quase 3% deles revelaram que ficam seis horas ou mais jogando videogames.

LEIA TAMBÉM: OMS define como doença o vício em videogames

Incapacidade de parar

A pesquisa indica ainda que quanto mais tempo as pessoas passam jogando videogames, mais graves são os efeitos na sua vida.

Dentre os participantes que jogavam menos de uma hora por dia, 1,7% declarou jogar mesmo após quedas no rendimento acadêmico ou demissão do emprego.

Quase 25% daqueles que jogam mais de 6 horas diziam não ser capazes de parar mesmo em tais situações. E 2,4% dos jogadores com menos de uma hora disseram ter continuado a jogar mesmo depois de ficarem deprimidos ou de terem dificuldade de dormir.

Dentre aqueles que jogam mais de 6 horas, 37% revelaram ser incapazes de parar mesmo depois de os jogos causarem danos à saúde mental.

 

* NHK é a emissora pública de televisão do Japão.