Pesquisadores mostram que a Covid-19 não afeta a fertilidade das mulheres

Pesquisadores mostram que a Covid-19 não afeta a fertilidade das mulheres
Pesquisadores mostram que a Covid-19 não afeta a fertilidade das mulheres (Foto: Freepik)

Muitas mulheres grávidas estão adiando a vacinação contra a Covid-19 por conta do medo que a vacina possa afetar sua fertilidade. Os ativistas antivacinação parecem estar alimentando esses medos e induzindo as mulheres a pensar que a vacina pode afetar suas chances de engravidar agora ou no futuro, ou aumentar o risco de aborto espontâneo.

Mas não há nenhuma evidência de pesquisa para apoiar essas afirmações. A ciência mostra que as vacinas contra o coronavírus não têm efeito sobre a fertilidade, não afetam a chance de um aborto espontâneo e são seguras e eficazes durante a gravidez.

Mitos sobre a vacina que afeta a fertilidade podem ser rastreados até sites nos Estados Unidos, que destacaram uma afirmação de um médico europeu em dezembro de 2020, enquanto a vacina estava em testes de Fase 3.

Em uma postagem de blog que já foi excluída, ele levantou a hipótese de que havia proteínas na placenta que tinham semelhanças com a proteína do pico do vírus. Ele achava que os anticorpos nas vacinas que bloqueiam a proteína do pico também podem se ligar à placenta.

Mas, segundo estudos, as proteínas virais e placentárias não são semelhantes o suficiente para que isso aconteça.

Várias populações de mulheres foram acompanhadas após a vacinação. Mulheres que receberam vacinas contra a Covid-19 não apresentam diferenças nos marcadores de qualidade do folículo ovariano (óvulo) em comparação com mulheres não vacinadas.

Além disso, os estudos não demonstraram nenhuma diferença na taxa de implantação de embriões para mulheres que receberam vacinação contra o coronavírus antes da fertilização in vitro (FIV) em comparação com mulheres não vacinadas.

Os estudos também investigaram o efeito da vacina na fertilidade masculina. Estes não demonstraram nenhuma alteração no volume do esperma, concentração, motilidade (a capacidade de nadar da maneira certa) e contagem total de espermatozoides móveis ao comparar amostras colhidas antes e depois da vacinação.

E na gravidez?

Estudos também analisaram especificamente o aborto espontâneo. Se os anticorpos causassem problemas para a placenta, teríamos muitos abortos espontâneos causados pela vacina. Mas este não é o caso.

A ciência também deixa claro que a vacina é segura durante a gravidez. Em estudos com mulheres grávidas no Canadá e nos Estados Unidos que receberam a vacina, os efeitos colaterais menores foram semelhantes aos de adultas não-grávidas, e as complicações na gravidez e os resultados do bebê foram semelhantes à taxa normal.

Além disso, pesquisas demonstraram benefícios da vacinação durante a gravidez, com o bebê ganhando um pouco de proteção contra a Covid-19. Anticorpos também foram encontrados no cordão umbilical e no leite materno, sugerindo uma proteção temporária contra o vírus para os bebês (conhecida como imunidade passiva). Esses efeitos podem ser observados quando a vacinação ocorre em qualquer estágio da gravidez.

Veja também
+ Casamento de Ana Maria Braga chega ao fim após marido maltratar funcionários, diz colunista
+ Conheça a eficácia de cada vacina no combate à Covid-19
+ Veja fotos de Karoline Lima, novo affair de Neymar
+ Lázaro Barbosa consegue fugir de novo da polícia após tiroteio
+ Gracyanne Barbosa dança pole dance com novo visual
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Após processar nora, mãe de Medina a acusa de ter destruído sua casa; veja fotos
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Fondue de chocolate com frutas fácil de fazer
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago