Pistas do planeta perdido

Análises do meteorito Almahata Sitta, que caiu no Deserto da Núbia (Sudão) em 2008, sugerem era formado de um planeta existente nos primeiros 10 milhões de anos do nosso sistema solar.

O escuro Almahata Sitta, no deserto: resto de um planeta desaparecido (Foto: Divulgação)

Análises de microscópio de minúsculos diamantes encontrados no meteorito Almahata Sitta, que caiu no Deserto da Núbia (Sudão) em 2008, sugerem que eles foram formados em um “planeta perdido” existente nos primeiros 10 milhões de anos do nosso sistema solar. O estudo de cientistas da Suíça e do Japão, publicado em abril na revista “Nature Communications”, indica que o material, ureilita, contém compostos produzidos sob intensa pressão, no interior de um planeta. Para os pesquisadores, o tamanho desse mundo estaria entre o de Mercúrio e o de Marte. Ele seria um de dezenas de corpos semelhantes que teriam colidido entre si para formar os planetas atuais.