Plasma pode dessalinizar água do mar

Experimento brasileiro é pioneiro em demonstrar o processo

Processo documentado em imagens: produção de cristais cúbicos menores e mais numerosos. Crédito: ALMADA, L. F. A. et al. Journal of Physics D. 2021

Experimentos demonstraram pela primeira vez a possibilidade de usar plasma – gás ionizado, produzido em laboratório por descargas elétricas – para acelerar a formação e a precipitação de cristais de sal a partir da água do mar (“Journal of Physics D”, 4 de fevereiro).

Sob a coordenação do físico Clodomiro Alves Junior, da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa), no Rio Grande do Norte, a engenheira Liliane de Almada registrou com câmeras e técnicas de microscopia eletrônica a evaporação natural de gotas de água hipersalina e comparou com a evaporação de gotas idênticas expostas a um plasma, que acelerou a evaporação e deformou a superfície da gota (foto acima).

No lugar dos cristais de sal em forma de pirâmide invertida da evaporação natural, o plasma produz cristais cúbicos menores e mais numerosos. “O plasma pode permitir a extração seletiva de sais”, afirma Alves Junior.

* Este artigo foi republicado do site Revista Pesquisa Fapesp sob uma licença Creative Commons CC-BY-NC-ND. Leia o artigo original aqui.

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA
+ Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus
+ Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança