Polvo daltônico orienta tratamento para perda da visão humana

close-up of the tentacles of an octopus underwater

Uma pesquisa da Universidade de Bristol sobre a visão do polvo resultou em um teste rápido e fácil que ajuda a identificar pessoas com maior risco de degeneração macular, a principal causa da perda incurável da visão.

A base para essa descoberta foi publicada na última edição do Journal of Experimental Biology e descreve a nova tecnologia desenvolvida pelo pesquisador principal, Professor Shelby Temple, para medir quão bem os polvos – daltônicos – podem detectar a luz polarizada, um aspecto da luz que os humanos não podem ver prontamente. Usando esta nova tecnologia, a equipe de pesquisa mostrou que os polvos têm o sistema de visão de polarização mais sensível do que qualquer animal testado até o momento. Pesquisas subsequentes usaram a mesma tecnologia em humanos e levaram ao desenvolvimento de um novo dispositivo médico que avalia o fator de risco para perda de visão mais tarde na vida.

O professor Shelby Temple, que ocupa cargos honorários na Escola de Ciências Biológicas da Universidade de Bristol e na Escola de Optometria da Universidade de Aston, explicou o impacto das descobertas da equipe. “Sabíamos que o polvo, como muitas espécies marinhas, podia ver padrões na luz polarizada da mesma forma que vemos as cores, mas não tínhamos ideia de que eles podiam fazer isso quando a luz estava apenas 2% polarizada – foi uma surpresa emocionante, mas ainda mais surpreendente foi quando testamos humanos e descobrimos que eles eram capazes de ver os padrões de polarização quando a luz estava apenas 24% polarizada”, disse.

Segundo o especialista, os humanos podem perceber a polarização porque os pigmentos maculares em nossos olhos absorvem diferencialmente a luz azul-violeta dependendo do seu ângulo de polarização, um efeito conhecido como escovas de Haidinger. É como um super sentido que a maioria de nós nem sabe que tem. Quanto mais pigmentos uma pessoa tiver, mais protegida ela estará contra a perda de visão.

“Ao inventar um método para medir a visão de polarização em polvos, fomos capazes de usar a tecnologia principal para desenvolver um novo dispositivo oftálmico que pode rastrear pessoas de forma rápida e fácil para pigmentos maculares baixos, um forte fator de risco para aumento da suscetibilidade à degeneração macular,” explicou.

Os pigmentos maculares são a proteção natural do corpo contra a luz azul-violeta prejudicial. Esta nova abordagem de teste permite que os optometristas forneçam conselhos preventivos aos pacientes. Capacitar os pacientes a fazerem escolhas simples de estilo de vida, como usar óculos escuros ou comer mais frutas e vegetais verdes escuros e de cores vivas que podem ajudá-los a proteger a visão ao longo da vida.

Os pigmentos maculares são os carotenóides luteína, zeaxantina e meso-zeaxantina que só podemos adquirir com a nossa dieta. Eles fornecem proteção de longo prazo para a retina e isso ajuda a prevenir a degeneração macular relacionada à idade , agindo como antioxidantes e absorvendo fortemente os comprimentos de onda de alta energia visível (azul-violeta) mais prejudiciais (380-500 nm) que atingem nossa retina.

A nova tecnologia desenvolvida pelo Professor Temple por meio de sua empresa iniciante Azul Optics Ltd permite a triagem rápida dos níveis de pigmento macular e pode ser usada em pacientes de 5 a 95 anos de idade. “Todos nós estamos vivendo mais e esperando fazer mais em nossa idade avançada, então, espero que esta invenção fortuita ajude a capacitar as pessoas a fazerem mais para cuidar de nossos olhos, para que não sofram desta doença devastadora”, finalizou.

Veja também
+ Casamento de Ana Maria Braga chega ao fim após marido maltratar funcionários, diz colunista
+ Conheça a eficácia de cada vacina no combate à Covid-19
+ Veja fotos de Karoline Lima, novo affair de Neymar
+ Lázaro Barbosa consegue fugir de novo da polícia após tiroteio
+ Gracyanne Barbosa dança pole dance com novo visual
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Após processar nora, mãe de Medina a acusa de ter destruído sua casa; veja fotos
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Fondue de chocolate com frutas fácil de fazer
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago