Preparativos da ExoMars para a viagem a Marte

Equipamentos importantes da segunda fase da missão ExoMars, das agências espaciais europeia e russa, estão em fase de integração para o lançamento em 2020

Kazachok no lugar: os equipamentos vão sendo integrados com vistas ao lançamento programado para 2020. Foto: Thales Alenia Space

O módulo de pouso Kazachok, da missão ExoMars (Exobiology on Mars), aparece na foto em cima do envoltório traseiro do módulo de descida, durante atividades de integração em Turim (Itália). Um escudo frontal também será colocado em cima.

A Kazachok (“pequeno cossaco”) é uma das contribuições da Roscosmos, a agência espacial russa, para a ExoMars. Esse programa de astrobiologia é desenvolvido em parceria pela Agência Espacial Europeia (ESA) e pela Roscosmos.

Os objetivos da ExoMars são procurar sinais de vidas passadas em Marte, estudar a atmosfera e o ambiente geoquímico e de água no planeta. As tecnologias empregadas estarão em análise para uma futura missão de ida e volta a Marte dedicada à coleta de amostras.

LEIA TAMBÉM: Radiação cósmica põe em risco missão da Nasa a Marte

O programa foi dividido em duas etapas. A primeira delas, lançada em 2016, tencionava colocar o Trace Gas Orbiter (sonda de telecomunicações e análise de gás atmosférico) em órbita de Marte e pousar o módulo Schiaparelli EDM na superfície do planeta. A sonda está funcionando, mas o Schiaparelli se acidentou ao chegar ao solo.

A segunda parte do programa, da qual a Kazachok faz parte, deverá ser lançada em julho de 2020. Pela programação, em 2021 a Kazachok colocará na superfície o rover (veículo de exploração) Rosalind Franklin. A missão científica deverá durar no mínimo até 2022.

O módulo de descida também já foi integrado ao módulo transportador. O conjunto será levado a Cannes (França) para testes ambientais. Enquanto isso, o rover Rosalind Franklin passa por testes ambientais em Toulouse (França).