Produção de uma calça jeans consome mais de 5 mil litros de água

Levantamento foi feito pela Vicunha Têxtil, produtora de índigos e brins, e o Movimento Ecoera, pioneiro em integrar os mercados de moda, design e beleza à sustentabilidade

A Vicunha Têxtil, produtora de índigos e brins, e o Movimento Ecoera, pioneiro em integrar os mercados de moda, design e beleza à sustentabilidade no Brasil, lançaram em novembro o projeto Pegada Hídrica Vicunha, para analisar o mercado da produção de uma calça jeans – desde o plantio do algodão até o consumidor final. No final de maio, os resultados do levantamento a partir da metodologia global Water Footprint Network, foram revelados: o consumo médio de água por calça jeans produzida no Brasil chega a 5.196 litros.

O cálculo foi baseado em três indicadores de Pegada Hídrica que, somados, conferem a Pegada Hídrica total: a Pegada Verde, que envolve o volume da água da chuva utilizada pelas plantas nos processos agrícolas da cadeia produtiva; a Pegada Azul, relativa ao consumo advindo das fontes de água doce, das superfícies subterrâneas e que não são devolvidos para as mesmas fontes de captação; e, por fim, a Pegada Cinza, referente ao volume de água necessário para a natureza assimilar o efluente devolvido ao meio ambiente.

De acordo com o levantamento, o volume total consumido por uma calça jeans corresponde a 41% água verde, 11% água azul e 48% água cinza. Separado por etapas, considera-se ainda o seguinte gasto em cada elo da cadeia: 4.247 litros no plantio, 127 litros na tecelagem, 362 litros nas fases de lavanderia e confecção e 460 litros nas lavagens caseiras realizadas pelo consumidor final.

Em parceria com a H2O Company (consultoria especializada em promover a gestão de recursos hídricos) e a ONG Iniciativa Verde, a iniciativa busca promover transparência na cadeia da moda e unir seus integrantes em prol da criação de indicadores próprios na gestão sustentável da água.

O projeto permite identificar a situação atual de cada elo da cadeia, possibilitando a criação de metas de redução do consumo de água e formas de compensação por meio de projetos socioambientais como recuperação do solo, conservação dos recursos hídricos, estoque de carbono e criação de corredores para a biodiversidade ao longo de toda a cadeia produtiva do jeanswear.

“Precisamos usar a moda para tratar de assuntos urgentes e nada melhor do que uma peça icônica como a calça jeans, presente no guarda-roupa de todo brasileiro, para despertar uma reflexão conjunta sobre o impacto ambiental da cadeia, unindo todos os elos em prol de práticas cada vez mais responsáveis, transparentes e éticas. Compartilhamos esse resultado com todos os agentes sociais para que, juntos, possamos criar uma gestão sustentável desse recurso vital para a nossa existência”, afirma Chiara Gadaleta, fundadora do Ecoera.