Purpurina estelar na escuridão do cosmos

A galáxia anã KK 246 é a única confirmada numa enorme vastidão cósmica de pelo menos 150 milhões de anos-luz de diâmetro

A galáxia KK 246: purpurina sobre fundo de veludo preto. Crédito: ESA/Hubble & Nasa, E. Shaya, L. Rizzi, B. Tully, et al.

Ao contrário de uma galáxia espiral ou elíptica, a galáxia KK 246 parece purpurina derramada sobre uma folha de veludo preto nesta imagem do Telescópio Espacial Hubble, da Nasa/ESA.

A KK 246, também conhecida como ESO 461-036, é uma galáxia anã irregular situada no Local Void (Vazio Local), ou Tully Void, uma vasta região de espaço vazio. Essa galáxia solitária é a única conhecida por residir nessa enorme área. Outras 15 foram identificadas de forma ainda provisória.

Embora a imagem pareça estar repleta de galáxias, elas estão realmente além desse vazio. Na realidade, elas fazem parte de outros grupos ou aglomerados de galáxias.

LEIA TAMBÉM: TESS investiga colisão da jovem Via Láctea com galáxia anã

Vazios cósmicos, como esse, são os espaços dentro da estrutura semelhante à teia do universo onde existem muito poucas galáxias – ou nenhuma.

Adjacente ao Grupo Local, essa região de espaço vazio tem pelo menos 150 milhões de anos-luz de diâmetro. Em comparação, nossa galáxia da Via Láctea é estimada em 150 mil anos-luz de diâmetro, o que torna esse vazio realmente imenso.

A galáxia KK 246: purpurina sobre fundo de veludo preto. Crédito: ESA/Hubble & Nasa, E. Shaya, L. Rizzi, B. Tully, et al.