Quasares varrem galáxias como tsunamis

Ventos de quasar são os fluxos mais energéticos já testemunhados no universo

Ilustração de um redemoinho empoeirado de partículas espiralando graças à influência de um quasar, com fluxos de material brilhante sendo expelidos do centro. Crédito: Nasa, ESA e J. Olmsted (STScI)

Usando os recursos exclusivos do telescópio espacial Hubble, da Nasa/ESA, uma equipe de astrônomos descobriu os fluxos mais energéticos já observados no universo. Eles emanam de quasares e atravessam o espaço interestelar como tsunamis, causando estragos nas galáxias em que os quasares vivem.

A ilustração acima mostra uma galáxia distante com um quasar ativo em seu centro. Um quasar emite quantidades excepcionalmente grandes de energia gerada por um buraco negro supermassivo alimentado por matéria em queda.

Usando os recursos do Hubble, os astrônomos descobriram que a pressão da radiação da vizinhança do buraco negro empurra o material para longe do centro da galáxia a uma fração da velocidade da luz.

Os “ventos de quasar” estão impulsionando centenas de massas solares de material a cada ano. Isso afeta toda a galáxia à medida que o material carrega o gás e a poeira circundantes.

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA
+ Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus
+ Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança