Rota pioneira para tratar de intestinos doentes

Um “microintestino” desenvolvido em laboratório a partir de células-tronco abre um caminho importante para buscar a cura de um problema ainda sem tratamento

O "mini-intestino": possibilidade de tratar vazamento intestinal. Crédito: Universidade da Califórnia em San Diego

A foto acima mostra uma inovação que tem tudo para transformar o tratamento de vazamentos intestinais: um organoide mini-intestinal gerado em laboratório a partir de células-tronco humanas. Esse “microintestino” ajudou pesquisadores da Universidade da Califórnia em San Diego (EUA) a simular condições intestinais com vazamentos e deixou-os mais perto de encontrar um tratamento para uma condição que pode ser mais comum e mais prejudicial do que se pensava anteriormente.

A produção do organoide foi descrita em artigo na revista “Life Science Alliance”. Os pesquisadores também relatam ali um caminho potencial para apertar os intestinos que vazam com um medicamento comum disponível.

Micróbios e moléculas que escapam do intestino podem desencadear uma resposta imune, contribuindo para uma variedade de doenças causadas por inflamação crônica, como doença inflamatória intestinal, demência, aterosclerose, fibrose hepática, câncer, diabetes e artrite. Atualmente, é difícil para os médicos dizer quem apresenta o problema, e não há tratamento real para ele.

LEIA TAMBÉM: Revelada forma como bactérias do intestino influem na saúde do cérebro

Após a criação de modelos tridimensionais do intestino humano a partir de células de pacientes, porém, os pesquisadores americanos revelaram novos biomarcadores que, segundo eles, ajudam a definir a aparência de um intestino com vazamento.

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA
+ Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus
+ Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança