Ruínas de palácio asteca são encontradas na Cidade do México

Restos do palácio de Axayácatl e de uma casa construída por ordem de Hernán Cortés estão sob um edifício histórico na praça central da capital mexicana

O edifício em cujo porão estão os restos do palácio de Axayácatl. Crédito: Raúl Barrera R./PAU-Inah

O Instituto Nacional de Antropologia e História (Inah), do México, encontrou pisos de basalto correspondentes a um espaço aberto no palácio de Axayácatl, governante asteca de Tenochtitlan entre 1469 e 1481. No resgate arqueológico, também foram detectados vestígios da moradia do conquistador espanhol Hernán Cortés, que mais tarde foi sede do primeiro Cabildo da Nova Espanha e do Marquesado do Vale de Oaxaca. O sítio está localizado sob um prédio histórico da praça central da capital mexicana.

Enquanto realizavam trabalhos de reforma no edifício Monte de Piedad, de 1755, trabalhadores encontraram pisos de basalto incomuns embaixo do edifício. Segundo os arqueólogos, o piso era uma área aberta no palácio do governante asteca Axayácatl – pai de Montezuma, um dos últimos soberanos do antigo império asteca – entre 1469 e 1481.

Durante a escavação, os arqueólogos também encontraram evidências da casa que Cortés possuía no local após a queda do império asteca. Para eles, o piso era provavelmente feito de materiais reutilizados no palácio de Axayácatl. Esse prédio, assim como outros edifícios astecas sagrados, foi destruído pelos conquistadores europeus.

LEIA TAMBÉM: Peste que dizimou os astecas é explicada em estudo

Confronto aberto

Dentro dos muros do palácio de Axayácatl ocorreram alguns dos episódios mais decisivos da conquista de Tenochtitlan. Foi o caso da morte do governante Moctezuma Xocoyotzin, possivelmente em 29 de junho de 1520. Segundo o Ministério da Cultura do México, o local foi cenário de “reviravoltas inesperadas” que “minaram o relacionamento entre o México e os espanhóis e desencadearam um confronto aberto”.

Os arqueólogos descobriram as ruínas ao redor do pátio do edifício em setembro de 2017. Escavações e investigações seguem em andamento.

Cortés chegou ao México moderno em 1518, no comando de uma das mais sombrias expedições de colonização do Novo Mundo. Ele e seus liderados cercaram e destruíram a capital asteca, Tenochtitlan, em 1521. Os expedicionários mataram astecas locais e disseminaram doenças para as quais a população nativa não tinha imunidade. A chegada de Cortés ao México marcou o declínio irreversível do império asteca.

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA
+ Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus
+ Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança