São Paulo lança plano para mapear e monitorar lixo no mar

Levantamento de dados, que deve durar entre seis meses e um ano, é um precursor do futuro Plano de Combate ao Lixo no Mar

O Plano Estratégico de Monitoramento e Avaliação do Lixo no Mar é a primeira iniciativa no sentido de entender o despejo de lixo no mar e combater esse problema com mais propriedade. Crédito: Fernando Frazão/Agência Brasil

O estado de São Paulo lançou um plano para mapear e monitorar o lixo no mar do litoral paulista. Trata-se do Plano Estratégico de Monitoramento e Avaliação do Lixo no Mar. Apresentado na última quarta-feira (20), o documento pretende ser um embrião do futuro Plano de Combate ao Lixo no Mar do estado.

A proposta é mapear diversos indicadores. Entre eles estão o potencial de entrada de lixo no mar pelos rios, pelas atividades nos portos e navegação, assim como pelo esgoto. O levantamento dos dados deverá durar, aproximadamente, de seis meses a um ano. Ele será feito em parceria com o Instituto Oceanográfico da Universidade de São Paulo (USP).

“É a primeira vez que a gente mobiliza força para tentar entender esse fenômeno [do lixo no mar] e combatê-lo com maior especificidade”, destacou o coordenador de Planejamento Ambiental da Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente do Estado de São Paulo, Gil Scatena.

“A intenção é a gente conseguir identificar os pontos principais que São Paulo tem que atacar para poder estrategicamente combater o lixo no mar”, acrescentou.

“O desenvolvimento de um diagnóstico das principais fontes de resíduos que são carreados até o oceano, em uma determinada escala geográfica, é o ponto de partida para a implementação de ações de combate precisas e cientificamente embasadas”, ressalta o documento.

O plano pode ser acessado aqui. Ele é feito em parceria com o Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio), a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) e a USP. Conta ainda com o patrocínio da embaixada da Noruega.

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA
+ Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus
+ Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança