Satélite flagra erupção de vulcão temido da Indonésia

Anak Krakatau, entre as ilhas de Java e Sumatra, entrou em erupção em 11 de abril, lançando plumas na atmosfera e fluxos de lava

A atual erupção do Anak Krakatau vista do espaço: por enquanto, nível de alerta 2 em escala que vai até 4. Crédito: Nasa Earth Observatory/Lauren Dauphin, com dados do Landsat/USGS

O vulcão Anak Krakatau é uma presença poderosa e às vezes ameaçadora no Estreito de Sunda entre Java e Sumatra (Indonésia), com mais de 50 períodos conhecidos de erupções em quase 2 mil anos. A mais recente explosão de atividade do vulcão indonésio, iniciada em 11 de abril, produziu inúmeras plumas e fluxos de lava em 2020, incluindo alguns eventos relativamente pequenos, mas notáveis, em abril.

O Anak Krakatau (“Criança de Krakatoa”) surgiu em 1927, a partir da caldeira formada em 1883 pela erupção catastrófica da ilha Krakatoa, que continha três picos vulcânicos e foi destruída na ocasião. Essa erupção foi considerada a 6ª maior do mundo e a 2ª mais fatal da história –mais de 36 mil pessoas morreram na ocasião, como consequência da erupção e do tsunami resultante. De acordo com registros climáticos e recentes estudos, a grande quantidade de gases e partículas lançados na atmosfera pela erupção fez a temperatura global cair 1 °C. O desastre foi tema do filme Krakatoa, o Inferno de Java, de 1969.

O Anak Krakatau concentra atualmente a atividade eruptiva da região. O vulcão chegou a ter mais de 324 metros de altura, e a cada ano aumentava cerca de 5 metros. Depois da erupção e consequente explosão de 22 de dezembro de 2018, no entanto, cerca de 2/3 do vulcão colapsaram, e a altura do pico do vulcão caiu para 110 metros.

LEIA TAMBÉM: Cientistas revelam como supervulcão submarino nasceu na costa da África

Em 13 de abril de 2020, o Operational Land Imager (OLI) no Landsat 8 adquiriu essa imagem em cores naturais do Anak Krakatau enquanto uma pluma se elevava sobre o pico. A imagem em cores naturais é sobreposta à assinatura infravermelha detectada pelo OLI do que é possivelmente rocha derretida.

Vapor d’água, gás e cinzas

“A localização da pluma sugere que é de origem vulcânica”, disse Verity Flower, vulcanologista da Universities Space Research Association (USRA) baseada no Goddard Space Flight Center (Centro de Voos Espaciais Goddard), da Nasa. Flower e seus colegas usaram o sensor Espectrorradiômetro de Ângulo Múltiplo (MISR, na sigla em inglês) no satélite Terra da Nasa para medir a altura das plumas vulcânicas e observar a forma, o tamanho e as propriedades de absorção de luz das partículas nas plumas. “Em 12 de abril, vi uma característica semelhante em uma das imagens angulares do MISR com uma característica semelhante a uma pluma acima do cume do vulcão.”

Com base na cor da pluma na imagem acima, Flower acha que ela é provavelmente composta sobretudo de vapor d’água e gás. Essas pequenas partículas refletivas fazem uma pluma parecer branca. Por outro lado, partículas de cinza maiores e mais escuras tendem a fazer a pluma parecer cinza ou marrom em imagens de cores naturais.

A parte mais escura da pluma que se estende em direção ao norte aparece em altitude mais baixa do que a parte brilhante e ondulada da pluma diretamente sobre o pico. “É possível que as partículas de cinza mais pesadas emitidas permaneçam mais baixas na atmosfera e sejam transportadas para o norte por ventos próximos à superfície”, disse Flower. “Em contraste, qualquer água e gases dentro da pluma, que são mais leves, seriam transportados mais alto e se condensariam rapidamente na atmosfera.”

Erupções e tsunamis

O Centro de Vulcanologia e Mitigação de Riscos Geológicos da Indonésia (PVMBG, na sigla em inglês) informou que rochas incandescentes surgiram na superfície do vulcão com “intensidade insignificante” nos dias anteriores a esta imagem.

“O vulcão Anak Krakatau exibiu essas pequenas erupções periódicas durante os últimos anos”, disse Flower. “No entanto, também pode exibir atividades mais destrutivas, como erupções provocadas por tsunamis.”

De acordo com a declaração do PVMBG de 11 de abril, os riscos da atividade recente do vulcão incluíam fontes de lava, fluxos de lava e chuva de cinzas em um raio de 2 quilômetros ao redor da cratera. Uma chuva mais fina de cinzas pode se estender ainda mais, dependendo da força dos ventos. Ainda assim, o nível de alerta permaneceu em 2 na escala de 1 (baixo) a 4 (alto).

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA
+ Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus
+ Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança