Seguradoras enfrentam prejuízos extremos causados pelo clima

Conta deverá ser salgada: uma das previsões é de pagamentos de US$ 42 bilhões aos clientes nos EUA

Efeitos da enchente em Hagen, na Alemanha: eventos extremos estão cobrando um preço alto das seguradoras. Crédito: Bärwinkel,Klaus/Wikimedia Commons

A multiplicação de desastres causados por eventos climáticos extremos está causando um problema sério para a indústria de seguros: com prejuízos humanos e materiais cada vez mais numerosos, o valor das indenizações está cada vez mais salgado. Estimativas da seguradora britânica Aon, citadas pelo Guardian, indicam que as empresas do setor terão que pagar cerca de US$ 42 bilhões de volta aos seus clientes para cobrir os danos causados por desastres naturais no último semestre nos EUA. O aumento nas perdas seguradas foi puxado por eventos extremos como o frio que atingiu boa parte do Texas em fevereiro e os primeiros efeitos da onda de calor que atinge o oeste dos EUA desde junho.

E por falar em calor no oeste norte-americano, muitos produtores de vinho do Vale do Napa, na Califórnia, estão preocupados com os efeitos das temperaturas altas, do ar seco e dos incêndios florestais sobre a indústria vinícola. A situação é tão dramática que alguns proprietários estão sendo rejeitados pelas seguradoras. O motivo? Com o calor e o fogo cada vez mais frequentes, o risco de prejuízo é muito alto. O NY Times deu mais detalhes.

Sinuca de bico

Já a Reuters destacou cálculos da associação da indústria de seguros GDV na Alemanha sobre os impactos das enchentes no oeste do país na última semana: segundo a conta, as perdas seguradas podem totalizar até 5 bilhões de euros apenas nos estados da Renânia do Norte-Vestfália e Renânia-Palatinado, sem incluir os danos registrados na Bavária e na Saxônia, também afetadas pelas chuvas. Mais grave, no entanto, são os prejuízos não segurados, que podem se multiplicar nos próximos anos caso as seguradoras recorram a critérios mais exigentes relativos aos riscos de dano. Na Deutsche Welle, Kristie Pladson abordou a sinuca de bico que a crise climática está causando (e pode causar) para clientes e seguradoras.

Veja também
+ Casamento de Ana Maria Braga chega ao fim após marido maltratar funcionários, diz colunista
+ Conheça a eficácia de cada vacina no combate à Covid-19
+ Veja fotos de Karoline Lima, novo affair de Neymar
+ Lázaro Barbosa consegue fugir de novo da polícia após tiroteio
+ Gracyanne Barbosa dança pole dance com novo visual
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Após processar nora, mãe de Medina a acusa de ter destruído sua casa; veja fotos
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Fondue de chocolate com frutas fácil de fazer
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago