• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Anuncie
Assine
Revista Planeta
MenuMenu
FECHAR
  • Home
  • Astronomia
  • Arqueologia
  • Ciência
  • Viagem
  • Espiritualidade
  • Siga-nos:Facebook
Featured02/05/2022

Sete horas de sono são o ideal na meia-idade e na velhice

Crédito: StockSnap/Pixabay

02/05/22 - 13h04min

O sono desempenha um papel importante na ativação da função cognitiva e na manutenção de uma boa saúde psicológica. Também ajuda a manter o cérebro saudável, removendo os resíduos. À medida que envelhecemos, muitas vezes vemos alterações em nossos padrões de sono, incluindo dificuldade em adormecer e permanecer dormindo, e diminuição da quantidade e qualidade do sono. Acredita-se que esses distúrbios do sono possam contribuir para o declínio cognitivo e distúrbios psiquiátricos na população idosa.

Em pesquisa publicada na revista Nature Aging, cientistas do Reino Unido e da China examinaram dados de quase 500 mil adultos com idades entre 38 e 73 anos do UK Biobank. Os participantes foram questionados sobre seus padrões de sono, saúde mental e bem-estar, e participaram de uma série de testes cognitivos. Imagens do cérebro e dados genéticos estavam disponíveis para quase 40 mil dos participantes do estudo.

Ao analisar esses dados, a equipe descobriu que a duração do sono insuficiente e excessiva estava associada ao desempenho cognitivo prejudicado, como velocidade de processamento, atenção visual, memória e habilidades de resolução de problemas. Sete horas de sono por noite foi a quantidade ideal de sono para o desempenho cognitivo, mas também para uma boa saúde mental, com as pessoas experimentando mais sintomas de ansiedade e depressão e pior bem-estar geral se relatassem dormir por mais ou menos tempo.

Alterações no cérebro

Os pesquisadores dizem que uma possível razão para a associação entre sono insuficiente e declínio cognitivo pode estar na interrupção do sono de ondas lentas – o sono “profundo”. A interrupção desse tipo de sono mostrou ter uma ligação estreita com a consolidação da memória, bem como com o acúmulo de amiloide – uma proteína chave que, quando se dobra incorretamente, pode causar “emaranhados” no cérebro característicos de algumas formas de demência. Além disso, a falta de sono pode prejudicar a capacidade do cérebro de se livrar de toxinas.

A equipe também encontrou uma ligação entre a quantidade de sono e as diferenças na estrutura das regiões do cérebro envolvidas no processamento cognitivo e na memória, novamente com maiores mudanças associadas a mais ou menos de sete horas de sono.

Ter sete horas de sono consistentes todas as noites, sem muita flutuação na duração, também foi importante para o desempenho cognitivo e boa saúde mental e bem-estar. Estudos anteriores também mostraram que os padrões de sono interrompidos estão associados ao aumento da inflamação, indicando uma suscetibilidade a doenças relacionadas à idade em idosos.

Fator de risco

O professor Jianfeng Feng, da Universidade de Fudan (China) e autor correspondente do estudo, afirmou: “Embora não possamos dizer conclusivamente que muito pouco sono ou sono em excesso causa problemas cognitivos, nossa análise avaliando indivíduos por um longo período de tempo parece apoiar essa ideia. Mas as razões pelas quais as pessoas mais velhas têm um sono pior parecem ser complexas, influenciadas por uma combinação de nossa composição genética e a estrutura de nossos cérebros”.

De acordo com os pesquisadores, as descobertas sugerem que a duração insuficiente ou excessiva do sono pode ser um fator de risco para o declínio cognitivo no envelhecimento. Isso é apoiado por estudos anteriores que relataram uma ligação entre a duração do sono e o risco de desenvolver doença de Alzheimer e demência, em que o declínio cognitivo é um sintoma característico.

A professora Barbara Sahakian, do Departamento de Psiquiatria da Universidade de Cambridge (Reino Unido), coautora do estudo, disse: “Ter uma boa noite de sono é importante em todas as fases da vida, mas principalmente à medida que envelhecemos. Encontrar maneiras de melhorar o sono dos idosos pode ser crucial para ajudá-los a manter uma boa saúde mental e bem-estar e evitar o declínio cognitivo, principalmente para pacientes com distúrbios psiquiátricos e demências”.

Saiba mais
+ Carolina Dieckmann pede R$ 9 milhões por mansão no Rio
+ IPVA 2022 SP: veja como consultar e pagar o imposto
+ Um gêmeo se tornou vegano, o outro comeu carne. Confira o resultado
+ Reencarnação na história: uma crença antiquíssima
+ O que se sabe sobre a flurona?
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua

amiloide