Show de imagens no concurso de fotografia astronômica de 2020

Fotógrafo francês foi o grande vencedor da competição anual promovida pelo Observatório Real de Greenwich, que na versão 2020 reuniu mais de 5 mil inscrições e cresce a cada ano

A grande vencedora, campeã da categoria Galáxias: "Andrômeda ao alcance do braço?". Crédito: © Nicolas Lefaudeux (França)

O fotógrafo francês Nicolas Lefaudeux derrotou mais de 5 mil fotógrafos amadores e profissionais de todo o mundo e conquistou o título do Insight Investment Astronomy Photographer of the Year 2020, do Observatório Real de Greenwich (Reino Unido). Além de render a seu autor 10 mil libras (cerca de R$ 68 mil), a foto premiada conquistou o lugar de honra máximo na exposição de fotografias vencedoras com inauguração no Museu Marítimo Nacional, em Greenwich, em 23 de outubro de 2020.

Os juízes foram cativados pela imagem inspiradora de Lefaudeux. Tirada em Forges-les-Bains, Île-de-France, a fotografia retrata uma versão da galáxia de Andrômeda aparentemente à distância de um braço. O juiz da competição, Ed Robinson, disse: “Para a maioria de nós, nossa galáxia vizinha, Andrômeda, também pode se sentir tão distante e fora de alcance, mas criar uma fotografia que nos dê a impressão de que está apenas ao nosso alcance físico é verdadeiramente mágico, e algo apropriado quando nos ajustamos após esses tempos de distanciamento social”.

“A Moça Verde”: aurora boreal capturada nos céus da Noruega, vencedora da categoria Aurora. Crédito: © Nicholas Roemmelt (Alemanha)

As imagens vencedoras das outras categorias e prêmios especiais incluem a deslumbrante aurora boreal acima de Hamn i Senja, Skaland, na Noruega, por Nicholas Roemmelt (Alemanha); a imagem tirada por Łukasz Sujka (Polônia) que mostra o alinhamento de nossa Lua e Júpiter, emoldurado por três das luas de Júpiter; “A Prisão da Tecnologia”, as trilhas de satélite entre a Terra e a estrela dupla Albireo, que o fotógrafo Rafael Schmall (Hungria) conseguiu capturar; e, na categoria Melhor Estreante, a impressionante imagem de Bence Toth (Hungria) da região central da nebulosa Califórnia.

LEIA TAMBÉM: Júpiter ao alcance das mãos

“Dark River”, vencedora do Prêmio Annie Maunder para Inovação de Imagem: imagem gigapixel da Via Láctea foi impressa pela artista em papel japonês e depois montada em uma escultura. Crédito: © Julie F. Hill (Reino Unido)
Novas perspectivas

A cativante “Dark River” (Rio Escuro), de Julie F. Hill (Reino Unido) foi eleita vencedora inaugural do Prêmio Annie Maunder para Inovação de Imagem. Melanie Vandenbrouck, jurada da competição, comentou: “Quando duas disciplinas como arte e ciência colidem, elas podem trazer novas perspectivas para assuntos familiares. Ao dar forma escultural à nossa galáxia natal, essa artista nos ajuda a compreender em um nível visceral o que poderia parecer abstrato”.

O editor de arte da “BBC Sky at Night Magazine”, Steve Marsh, que também é jurado da competição, disse sobre o concurso deste ano: “Mais um ano de incrível variedade, engenhosidade e talento de parar o espetáculo nos deu um verdadeiro banquete para os olhos na competição de 2020. De uma vasta aurora a nebulosas ardentes e um olhar íntimo para nossa vizinha galáctica mais próxima, realmente há algo para todos e a comunidade mundial de astrofotografia continua a nos impressionar e surpreender a cada passo”.

“A Prisão da Tecnologia”, campeã na categoria Pessoas e Espaço: a estrela dupla Albireo é vista em meio a trilhas de satélites em movimento. Crédito: © Rafael Schmall (Hungria)

A drª Emily Drabek-Maunder, astrônoma do Royal Museums Greenwich e jurada da competição, disse: “A situação global tornou o julgamento e a pré-seleção extremamente desafiadores este ano, especialmente com juízes espalhados por diferentes países! No entanto, as fotos superaram nossas expectativas e a inovação demonstrada pelos participantes foi fenomenal”.

O concurso

O Insight Investment Astronomy Photographer of the Year é dirigido pelo Observatório Real de Greenwich em associação com a Insight Investment e a “BBC Sky at Night Magazine”. Agora em seu décimo segundo ano, a competição recebeu mais de 5 mil inscrições de seis continentes. O melhor dessas fotografias excepcionais – vencedoras, finalistas, altamente elogiadas e pré-selecionadas – é apresentado na exposição “Insight Investment Astronomy Photographer of the Year” no Museu Marítimo Nacional, em Greenwich, com abertura ao público a partir de 23 de outubro de 2020 e ingressos à venda a partir de 14 de setembro de 2020.

Para ver todas as fotos selecionadas e obter mais informações sobre a mostra, acesse www.rmg.co.uk/astrophoto

Para obter informações sobre como entrar na competição do próximo ano, visite www.rmg.co.uk/astrocomp

Confira a seguir alguns dos outros destaques da competição.

“O Espaço entre Nós…”, vencedora na categoria Planetas, Cometas e Asteroides, que mostra o alinhamento da Lua com Júpiter ocorrido em 31 de outubro de 2019. Crédito: © Łukasz Sujka (Polônia)
“Ondas”, imagem da parte central da nebulosa Califórnia vencedora na categoria Melhor Estreante. Crédito: © Bence Toth (Hungria)
“Inferno Cósmico”, vencedora na categoria Estrelas e Nebulosas, que retrata em cores falsas o movimento do gás de onde novas estrelas começaram a brilhar na nebulosa NGC 3576. Crédito: © Peter Ward (Austrália)
“Pintando o Céu”, campeã na categoria Paisagens Celestes, captou as raras nuvens estratosféricas polares. Crédito: © Thomas Kast (Alemanha)
“Os Quatro Planetas e a Lua”: uma garota de 10 anos da Ilha da Reunião registrou, após o pôr do sol, a Lua, Vênus, Mercúrio, a estrela Antares, Júpiter e Saturno flutuando sobre o Oceano Índico com a Via Láctea ao fundo, foto que lhe rendeu o título na Categoria Jovem. Crédito: © Alice Fock Hang (Reunião)
“Região da Cratera Tycho com Cores”, sobreposição de duas fotos com cores falsas que ressalta, no azul dos óxidos de titânio e no vermelho dos óxidos de ferro, a geologia oculta no cinza com que vemos habitualmente a Lua. Crédito: © Alain Paillou (França)
“Luz do Sol Líquida”: células de convecção são a parte visível de colunas ascendentes de plasma solar superaquecido, cada uma delas com cerca de 1.000 quilômetros de diâmetro, em foto vencedora da categoria Nosso Sol. Crédito: © Alexandra Hart (Reino Unido)

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA
+ Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus
+ Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança