Signatários de uma Nova Economia do Plástico mostram seus avanços

Levantamento da Fundação Ellen MacArthur revela como e quanto 350 marcas, governos e outras organizações estão avançando dentro da proposta de diminuir a geração de plástico, ampliar a reutilização e reciclagem do material

Reciclar materiais como plásticos pode render dividendos ambientais e sociais (Foto: iStockphoto)

Ao longo dos últimos quatro anos, a iniciativa Nova Economia do Plástico, da Ellen MacArthur Foundation, reuniu empresas e governos em torno de uma nova visão para uso do plástico. Agora a fundação, em colaboração com a ONU Ambiente, apresenta o primeiro relatório desse Compromisso Global por uma Nova Economia do Plástico. O levantamento mostra como e quanto essas marcas, governos e outras organizações estão avançando nas suas metas para diminuir a geração de plástico, ampliar a reutilização e reciclagem do material. Isso oferece um novo patamar de transparência sobre o atual sistema de produção e os esforços para erradicar os resíduos e a poluição por plástico.

No atual levantamento, disponível na íntegra aqui, 30 grandes empresas incluindo Carrefour, Colgate-Palmolive, Danone, MARS Incorporated, Nestlé, SC Johnson, The Coca-Cola Company e Unilever publicaram os volumes anuais de embalagens plásticas geradas pelas suas marcas, muitos deles pela primeira vez.

https://www.revistaplaneta.com.br/nova-economia-do-plastico/

Lançado oficialmente em outubro de 2018 já com 250 signatárias, o Compromisso viu o número de adeptos subir até agora para mais de 350. Entre os novos integrantes dessa investida estão a cidade de São Paulo e Meu Copo Eco, no Brasil, além de Apple, Barilla, Tetra Pak, L’OCCITANE en provence e o Governo de Ruanda. Instituições financeiras com mais de US$ 4 trilhões de ativos sob gestão endossaram o compromisso.

As metas de conteúdo reciclado de plástico em embalagens juntas representam 5 milhões de toneladas até 2025. Este é o maior compromisso da história para o uso de plástico reciclado em embalagens e cria uma demanda por maiores investimentos em reciclagem de qualidade, podendo resultar em uma redução significativa da produção de plásticos virgens. E também na migração para modelos de entrega de reúso que reduzam a necessidade de embalagens de uso único.

Empresas de bens de consumo e varejistas se comprometem a aumentar o conteúdo de plástico reciclado em suas embalagens a uma média de 25% até 2050, em comparação à atual média global de apenas 2%. Mas, a reciclagem não pode ser a única estratégia. A eliminação de embalagens plásticas problemáticas ou desnecessárias através do redesenho, da inovação, e de novos modelos de entrega é uma prioridade. E muitos dos signatários estão trabalhando nessa eliminação – incluindo o PVC e os canudos e sacolas plásticas de uso único – até o fim deste ano.

OBJETIVOS BEM DEFINIDOS
O Compromisso Global tem como objetivo criar uma nova realidade para as embalagens
plásticas, e seus signatários se comprometem a:
● Eliminar embalagens plásticas problemáticas ou desnecessárias e mover de modelos de embalagens de uso único para modelos de reuso
● Inovar para garantir que 100% das embalagens plásticas possam ser reutilizadas, recicladas ou compostadas de maneira fácil e segura até 2025
● Circular os plásticos produzidos, com um aumento significativo dos volumes de plástico reutilizado ou reciclado em novas embalagens

Veja também
+ Casamento de Ana Maria Braga chega ao fim após marido maltratar funcionários, diz colunista
+ Conheça a eficácia de cada vacina no combate à Covid-19
+ Veja fotos de Karoline Lima, novo affair de Neymar
+ Lázaro Barbosa consegue fugir de novo da polícia após tiroteio
+ Gracyanne Barbosa dança pole dance com novo visual
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Após processar nora, mãe de Medina a acusa de ter destruído sua casa; veja fotos
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Fondue de chocolate com frutas fácil de fazer
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago