Sonda da Nasa detecta sons peculiares em Marte

Desde abril, a sonda InSight registrou 100 eventos sonoros, sendo que 21 deles foram confirmados como terremotos

O planeta Marte emite uma sinfonia de sons. Mas, para ouvi-los, é preciso ter ouvidos sobre-humanos.

Equipada com um sismógrafo super sensível, a sonda InSight, que roda pelo Planeta Vermelho, consegue captar vibrações tão sutis como uma brisa, segundo a Nasa.

O sismógrafo foi fornecido pela agência espacial francesa, o Centro Nacional de Estudos Espaciais (CNES, na sigla em francês), e foi desenvolvido especialmente para captar vibrações de terremotos específicos de Marte.

De acordo com a Nasa, os cientistas querem estudar como as ondas sísmicas destes terremotos se movem através do interior do planeta, revelando a estrutura interna de Marte pela primeira vez.

Em abril, o sismógrafo da InSight captou sons de terremotos pela primeira vez. Desde então, 100 eventos sonoros foram registrados, sendo que 21 foram considerados terremotos. O restante ainda não está claro que são abalos sísmicos ou outra coisa.

Ouça os ruídos de Marte:

Como o sismógrafo da InSight é muito sensível, isso significa que os cientistas têm muitos ruídos para filtrar. Com o tempo, a equipe que monitora as gravações aprendeu a reconhecer os diferentes sons. A Nasa informou ainda, em comunicado, que rajadas de ventos também produzem sons.

Alguns são mais difíceis de identificar do que outros, mas todos eles fizeram com que a presença da InSight em Marte parecesse mais real. “é empolgante, especialmente no começo, quando ouvimos as primeiras vibrações gravadas pela sonda”, diz Constantinos Charalambous, pesquisador da missão InSight no Imperial College London. “Faz a gente ficar imaginando o que esta acontecendo em Marte”, diz.

O som dos terremotos sugerem que a crosta marciana é como uma mistura entre as crostas terrestre e lunar. Fissuras na crosta terrestre são seladas com o tempo, conforme água as preenche com novos minerais. Isso permite que as ondas sonoras fiquem ininterruptas conforme passam pelas fraturas.

Já as crostas mais secas, como a da Lua, produzem sons pós-impacto de terremotos mais fragmentados. Marte, com sua superfície cheia de crateras, é um pouco mais parecida com a Lua.