SpaceX anuncia parceria para enviar turistas a estação espacial em 2021

Empresa do bilionário Elon Musk quer enviar três turistas à ISS no segundo semestre do próximo ano; preço da passagem ainda não foi divulgado

Imagem da Axiom Space de uma turista na ISS: parceria com a SpaceX pode viabilizar a experiência no próximo ano. Crédito: Axiom Space

A SpaceX, empresa aeroespacial do bilionário Elon Musk (dono da Tesla), anunciou na quinta-feira (5) uma parceria para enviar três turistas à Estação Espacial Internacional (ISS), a primeira viagem particular em mais de uma década, informou o site Phys.org. A SpaceX assinou um acordo com a Axiom Space para transportar os turistas, juntamente com um comandante de uma de suas cápsulas da nave Crew Dragon, na segunda metade de 2021.

Segundo Michael Suffredini, diretor executivo da Axiom, o voo “representará um momento decisivo na marcha rumo ao acesso universal e rotineiro ao espaço”. Ele não revelou um preço para a passagem.

O custo do lançamento de um foguete SpaceX Falcon 9 é de cerca de US$ 60 milhões. Somado o custo associado à construção de uma nova cápsula, o preço do projeto pode superar US$ 100 milhões. Considerando-se esses dados, é provável que o custo de cada bilhete esteja na casa de dezenas de milhões de dólares.

LEIA TAMBÉM: Nasa abre Estação Espacial Internacional para receber turistas

Até agora, oito turistas espaciais foram à ISS em foguetes russos Soyuz, com a empresa Space Adventures. O primeiro, Dennis Tito, pagou US$ 20 milhões por uma estadia de oito horas na ISS em 2001. O mais recente foi o fundador do Cirque du Soleil, Guy Laliberte, em 2009.

Concorrência

Em fevereiro de 2020, a SpaceX anunciou uma parceria com a Space Adventures para enviar quatro turistas a uma órbita mais profunda do que qualquer cidadão particular antes deles. Essa missão também está projetada para o final de 2021, no mínimo, mas a tendência é que seja confirmada para 2022.

Outras empresas envolvidas no turismo espacial são a Virgin Galactic, de Richard Branson, e a Blue Origin, de Jeff Bezos (o dono da Amazon). Os dois estão desenvolvendo naves para enviar turistas um pouco além da fronteira do espaço (80 quilômetros ou 100 quilômetros, dependendo da definição de cada um).

As passagens para a Virgin começaram na faixa de US$ 250 mil quando foram colocadas à venda em meados dos anos 2000.

A oferta da SpaceX, muito mais ambiciosa, é alimentada pelo mesmo foguete Falcon 9 reutilizável que coloca satélites no espaço e envia astronautas à ISS.

A Boeing também está desenvolvendo uma cápsula de tripulação, chamada Starliner, também com a intenção de transportar astronautas americanos para a ISS. Como a SpaceX, a Boeing prevê enviar turistas ao espaço, mas o desenvolvimento do programa é dificultado por grandes falhas que resultaram no término antecipado de um voo de teste sem tripulação em dezembro.

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA
+ Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus
+ Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança