Substância no odor do corpo deflagra agressividade em mulheres

Já nos homens, o hexadecanal reduz a agressividade, observaram os pesquisadores

O HEX desencadeia agressividade nas mulheres e a reduz em homens. Crédito: StockSnap/Pixabay

O cheiro de uma substância química no odor do corpo humano desencadeia a agressividade em mulheres, mas a bloqueia em homens, de acordo com um estudo de pesquisadores de Israel, da Alemanha e do Japão. O artigo sobre esse trabalho foi publicado na revista Science Advances.

O produto químico em questão – hexadecanal, ou HEX – também é emitido por bebês quando sob estresse. Para os pesquisadores, essa característica poderia estar por trás do comportamento mais agressivo observado nas mulheres, já que se aproveita do instinto materno para proteger seus filhos. Por outro lado, o HEX pode barrar a agressividade masculina intencionalmente, pois colocaria a criança em risco.

As descobertas sugerem que diferenças específicas de sexo no sistema olfatório humano resultam em reações divergentes a esses “odores sociais”, disseram os pesquisadores. “A agressividade impulsiva é um fator importante na condição humana, mas ainda não está claro como exatamente a agressividade é desencadeada ou bloqueada no cérebro humano”, escreveram os cientistas, na maioria integrantes do Instituto Weizmann de Ciência, em Rehovot, Israel. No entanto, acrescentaram eles, “observamos que cheirar um corpo volátil, ou seja, HEX, diminuiu significativamente a agressividade em homens, mas aumentou significativamente a agressividade em mulheres”.

Sinais sociais

Os pesquisadores selecionaram 127 participantes para um teste duplo-cego no qual metade foi exposta a HEX em frascos de espécimes não marcados.

Os participantes da experiência jogaram um game de computador usado para medir o comportamento agressivo, no qual cada jogador compete contra um “rival” (na verdade, um algoritmo de jogo elaborado para provocar o adversário). Em uma fase posterior, os participantes podem externar sua irritação “explodindo” seus oponentes com um barulho alto, e o volume da explosão é registrado como uma medida de agressão.

Os dados da explosão de ruído indicaram que o HEX reduziu significativamente a agressividade nos homens, mas aumentou significativamente nas mulheres. Além disso, imagens de ressonância magnética e outras tecnologias de varredura revelaram que o HEX aumentou a atividade no giro angular esquerdo, a região do cérebro envolvida na percepção de sinais sociais em homens e mulheres. Nos homens, cheirar o HEX aumentou a conectividade entre o giro angular e uma rede cerebral envolvida na avaliação social e na agressividade. Já nas mulheres, essa conectividade foi reduzida.

Sinalização química

Embora um estudo publicado em 2020 indique que os humanos emitem odores corporais relacionados à agressividade, não se sabe como o comportamento agressivo humano pode ser afetado por sinais químicos sociais, disseram os cientistas.

“O HEX pode exercer seus efeitos modulando a conectividade funcional entre os substratos cerebrais da avaliação social e os substratos cerebrais da execução agressiva”, escreveram os pesquisadores. “Isso coloca a quimiossinalização no coração mecanicista da agressividade humana e representa apenas um exemplo adicional ao corpo de evidências em rápido crescimento envolvendo a quimiossinalização social como um grande, embora principalmente subconsciente, poder no comportamento humano.”

Veja também
+ Casamento de Ana Maria Braga chega ao fim após marido maltratar funcionários, diz colunista
+ Conheça a eficácia de cada vacina no combate à Covid-19
+ Veja fotos de Karoline Lima, novo affair de Neymar
+ Lázaro Barbosa consegue fugir de novo da polícia após tiroteio
+ Gracyanne Barbosa dança pole dance com novo visual
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Após processar nora, mãe de Medina a acusa de ter destruído sua casa; veja fotos
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Fondue de chocolate com frutas fácil de fazer
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago