Superplaneta que orbita estrela como o Sol desafia astrônomos

YSES 2b, a 360 anos-luz de nós, é seis vezes mais pesado que Júpiter, e a grande distância que mantém da sua estrela não se encaixa nos modelos conhecidos

Imagem direta do exoplaneta YSES 2b (canto inferior direito) e sua estrela (centro). A luminosidade da estrela é bloqueada a fim de que o planeta possa ser visto. Crédito: ESO/Sphere/VLT/Bohn et al.

Uma equipe de astrônomos liderados por cientistas holandeses capturou diretamente a imagem de um planeta gigante orbitando a uma grande distância ao redor de uma estrela parecida com o Sol. Por que esse planeta é tão grande e como isso aconteceu são um mistério. Os pesquisadores vão publicar suas descobertas na revista “Astronomy & Astrophysics”.

O exoplaneta em questão é o YSES 2b, localizado a 360 anos-luz da Terra na direção da constelação meridional de Musca (latim para mosca). O planeta gasoso é seis vezes mais pesado que Júpiter, o maior planeta do Sistema Solar. O YSES 2b orbita 110 vezes mais distante de sua estrela do que a Terra do Sol (ou 20 vezes a distância entre o Sol e Júpiter). A estrela que o acompanha tem apenas 14 milhões de anos e se assemelha ao nosso Sol em sua infância.

A grande distância do planeta à estrela representa um quebra-cabeça para os astrônomos. O enigma é que ele não parece se encaixar em nenhum dos dois modelos mais conhecidos para a formação de grandes planetas gasosos. Se o planeta tivesse crescido em sua localização atual longe da estrela por meio de acréscimo no núcleo, seria muito pesado porque não há material suficiente para fazer um planeta enorme a essa grande distância da estrela. Se o planeta foi criado pela chamada instabilidade gravitacional no disco planetário, parece não ser pesado o suficiente.

Aprendizado sobre formação de gigantes gasosos

Uma terceira possibilidade é que o planeta se formou próximo à estrela por acréscimo no núcleo e, em seguida, migrou para fora. Essa migração, no entanto, exigiria a influência gravitacional de um segundo planeta, que os pesquisadores ainda não encontraram.

Os astrônomos continuarão a investigar os arredores desse planeta incomum e sua estrela em um futuro próximo e esperam aprender mais sobre o sistema. Eles continuarão a procurar por outros planetas gasosos ao redor de estrelas jovens como o Sol. Os telescópios atuais ainda não são grandes o suficiente para realizar imagens diretas de planetas semelhantes à Terra ao redor de estrelas semelhantes ao Sol.

“Ao investigarmos mais exoplanetas semelhantes a Júpiter em um futuro próximo, aprenderemos mais sobre os processos de formação de gigantes gasosos em torno de estrelas semelhantes ao Sol”, afirmou Alexander Bohn, da Universidade de Leiden (Holanda), pesquisador principal do estudo.

O planeta YSES 2b foi descoberto com o Young Suns Exoplanet Survey (YSES). Essa pesquisa já forneceu a primeira imagem direta de um sistema multiplanetário em torno de uma estrela semelhante ao Sol em 2020. Os pesquisadores fizeram suas observações em 2018 e 2020 usando o Very Large Telescope (VLT) do Observatório Europeu do Sul (ESO) no Chile. Eles usaram o instrumento Sphere do telescópio para isso. Esse instrumento pode capturar a luz direta e indireta de exoplanetas.

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA
+ Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus
+ Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança