Terra perdeu 68% de suas espécies animais em apenas 50 anos

Segundo relatório da organização ambientalista WWF, as áreas mais afetadas foram as sub-regiões tropicais das Américas do Sul e Central, com perdas de 94%

O anfíbio Ischnocnema parva, encontrado no Brasil: uma das espécies com sobrevivência ameaçada. Crédito: Fábio Maffei

A nova edição do relatório “Planeta Vivo”, publicado pelo WWF, destaca um cenário dantesco para a biodiversidade global: em menos de 50 anos, o planeta perdeu mais de ⅔ de suas populações de mamíferos, aves, anfíbios, répteis e peixes selvagens. As principais causas para esse desastre são o desmatamento crescente e a expansão agrícola, que pressiona cada vez mais os ecossistemas, com prejuízo para as espécies naturais que dependem deles para sobreviver.

De acordo com o levantamento, as áreas mais afetadas são as sub-regiões tropicais das Américas do Sul e Central, onde a redução foi de 94%. “A natureza está diminuindo globalmente a taxas sem precedentes em milhões de anos”, alertou o diretor-geral do WWF, Marco Lambertini. “A forma como produzimos e consumimos alimentos e energia e o flagrante desprezo pelo meio ambiente, enraizado no nosso modelo econômico atual, levou o mundo natural aos seus limites.”

O relatório destaca também que a pandemia de covid-19 reforça outra preocupação futura para a humanidade: a maior probabilidade de sofrermos com doenças zoonóticas contagiosas, resultado da ruptura na relação do homem com a natureza. O texto ressalta que até 60% das doenças infecciosas atuais são decorrentes de animais, e quase ¾ delas de animais selvagens. Com a perda de ecossistemas e a maior interação entre espécies selvagens e os seres humanos, a possibilidade de novas doenças surgirem cresce em todo o mundo.

LEIA TAMBÉM: Cientistas propõem mudanças na agricultura para resgatar biodiversidade

Bloomberg, Deutsche Welle, “Financial Times” e “The Guardian” repercutiram os principais apontamentos desse relatório.

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA
+ Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus
+ Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança