Ultrassom marítimo revela danos no leito da laguna de Veneza

Em determinadas condições, os barcos que percorrem a área fazem sulcos nas águas rasas

Laguna de Veneza: leito danificado por embarcações. Crédito: Max Pixel

Uma pesquisa publicada na revista “Scientific Reports” revelou de modo inédito os efeitos danosos que múltiplas atividades humanas causam no fundo da laguna de Veneza.

A partir de mapeamentos feitos com instrumentos geofísicos de alta resolução, a equipe de Fantina Madricardo, do Instituto de Ciências Marinhas da Itália, obteve um tipo de ultrassom do leito marinho em escala de centímetros.

Segundo Fantina, os resultados mostram “vestígios de dragagens, sulcos em águas rasas esculpidos por barcos com quilha fora do curso ou por seus motores e pelo propulsor dos vaporettos (ônibus aquáticos) nas paradas, que em condições de maré baixa ‘aram’ o fundo do mar”.

LEIA TAMBÉM: Ministro propõe desviar navios de cruzeiro dos canais de Veneza

A técnica usada pelos cientistas, projetada especificamente para ambientes rasos, pode ser usada em outras áreas costeiras similares para determinar o impacto e a difusão das atividades humanas.

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA
+ Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus
+ Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança