• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Anuncie
Assine
Revista Planeta
MenuMenu
FECHAR
  • Home
  • Astronomia
  • Arqueologia
  • Ciência
  • Viagem
  • Espiritualidade
  • Siga-nos:Facebook
Astronomia06/12/2021

Um fantástico redemoinho estelar construído por imagens do Hubble

Galáxia NCG 7329: imagem apresentada pelo Hubble combina diferentes observações do mesmo objeto feitas em comprimentos de onda diferentes. Crédito: ESA/Hubble e Nasa, A. Riess et al.

06/12/21 - 06h28min

O redemoinho estelar reproduzido acima é uma galáxia espiral chamada NCG 7329. Ela foi fotografada pela Wide Field Camera 3 (WFC3) do telescópio espacial Hubble, da Nasa/ESA.

Criar uma imagem colorida como esta usando um telescópio como o Hubble não é tão simples quanto apontar e clicar em uma câmera. As câmeras comerciais normalmente tentam coletar o máximo de luz de todos os comprimentos de onda visíveis como podem, a fim de criar as imagens mais vibrantes possíveis. Em contraste, as imagens brutas coletadas pelo Hubble são sempre monocromáticas, porque os astrônomos geralmente desejam capturar faixas muito específicas de comprimentos de onda de luz a qualquer momento, a fim de fazer a ciência melhor e mais precisa possível.

Para controlar quais comprimentos de onda de luz serão coletados, as câmeras do Hubble são equipadas com uma ampla variedade de filtros, que permitem apenas que certos comprimentos de onda de luz cheguem aos CCDs das câmeras (um CCD é o sensor de luz de uma câmera – câmeras de smartphone também possuem CCDs!).

Filtros diferentes

Como as imagens coloridas do Hubble são possíveis, dado que as imagens brutas do telescópio são monocromáticas? Isso é feito combinando-se várias observações diferentes do mesmo objeto, obtidas por meio de filtros diferentes. Esta imagem, por exemplo, foi processada a partir de observações do Hubble feitas usando quatro filtros diferentes, cada um dos quais abrange uma região diferente do espectro de luz, do ultravioleta ao óptico (luz visível) e infravermelho. Processadores de imagem especializados e artistas podem fazer julgamentos informados sobre quais cores ópticas melhor correspondem a cada filtro usado. Eles podem então colorir as imagens tiradas usando esse filtro de acordo.

Finalmente, as imagens tiradas com diferentes filtros são empilhadas e voila! A imagem colorida de uma galáxia distante está completa, com cores tão representativas quanto possível da realidade.

Saiba mais

+ CPF do remetente deverá constar nas encomendas enviadas pelos Correios
+ Por que Saturno é tão temido?
+ Astrônomos chegam a consenso sobre a idade do universo
+ Fã ‘faz diagnóstico’ de hérnia em Rafa Kalimann, que confirma
+ Corpo de responsável por câmeras de clube onde petista foi assassinado é encontrado no Paraná
+ Por que Saturno é tão temido?
+ Veja objetos, símbolos e amuletos que atraem riqueza
+ Anitta conta o que a levou a fazer tatuagem no ânus
+ Ancestral humano desconhecido deixou pegadas estranhas na África


câmera