Um gêmeo se tornou vegano, o outro comeu carne. Confira o resultado

Durante 12 semanas, os gêmeos Hugo e Ross Turner se submeteram a dietas diferentes; os resultados mostraram detalhes tênues, mas significativos

Os gêmeos Turner após as 12 semanas de dieta: diferenças pequenas, mas significativas. Crédito: Instagram/@theturnertwiins

Os gêmeos geneticamente idênticos britânicos Hugo e Ross Turner têm usado essa característica para colaborar com a ciência, e a mais recente investigação a que se submeteram envolveu as diferenças entre uma dieta vegana e outra à base de carne para se identificar qual é a mais saudável. Em um estudo com o King’s College London com duração de 12 semanas, Hugo parou de comer carne e laticínios, enquanto Ross manteve uma dieta que incluía carne, laticínios e peixes. Eles ingeriam a mesma quantidade de calorias todos os dias e realizavam o mesmo padrão de exercícios.

“Queríamos usar o modelo de gêmeos idênticos, que são clones genéticos, para testar o efeito da dieta e dos exercícios e como esses indivíduos respondem a diferentes tipos de alimentos”, declarou em um vídeo para a BBC Reel o professor Tim Spector, epidemiologista do King’s College que comandou a pesquisa.

Segundo Hugo, a mudança para uma dieta baseada em vegetais foi difícil, mas ele acabou se sentindo com mais energia. Ele declarou à BBC: “Eu estava fazendo dieta vegana e isso realmente afeta seu corpo. Acho que nas primeiras semanas eu estava com muita vontade de comer carne, laticínios e queijo. Eu amo queijo. Agora estava tendo que comer frutas e nozes e alternativas que não continham laticínios – e isso significava que eu estava comendo muito mais alimentos saudáveis, o que significava que meus níveis de açúcar estavam muito saciados durante o dia. Eu senti que tinha mais energia.”

Crédito: Instagram/@ theturnertwiins
Bactérias intestinais

Por seu lado, Ross disse que seu desempenho na academia oscilou “um pouco mais”. Na sua avaliação, em alguns dias ele se sentia com muita energia, enquanto em outros passava por “grandes calmarias”.

Hugo não enfrentou essas oscilações em seus níveis de energia. Mas ele notou que a diversidade de suas bactérias intestinais caiu “severamente”, enquanto a de seu irmão permaneceu a mesma. Ross também ficou mais ciente em relação à quantidade de alimentos processados ​​que estava comendo ao verificar as refeições supersaudáveis ​​de seu irmão.

Depois de 12 semanas, os irmãos Turner foram informados de que houve poucas diferenças nos resultados. Mas elas foram significativas. Os níveis de colesterol de Hugo caíram, ele perdeu peso e aumentou sua resistência ao diabetes tipo 2. Sua dieta o levou a níveis de açúcar no sangue e de energia mais estáveis, enquanto a dieta carnívora de Ross resultou em picos e quedas mais severos de energia.

Um dado que chamou a atenção dos pesquisadores: a diversidade de bactérias intestinais caiu na dieta vegana de Hugo e permaneceu estável na de Ross. Teoricamente, portanto, Hugo estaria mais suscetível a doenças do que seu irmão.

A condição genética de gêmeos idênticos é o mais próximo a que se pode chegar, na vida real, de organismos com as mesmas características. Mas há diferenças, explicou o professor Spector. “Descobrimos que, em média, a maioria dos gêmeos idênticos compartilha apenas entre 25% e 30% de seus micróbios entre si. Achamos que é por isso que muitos de seus metabolismos são diferentes e eles reagem aos alimentos de maneira diferente”, disse ele.

Veja também
+ Jovem grava momento em que mulher morre sem saber que se tratava de sua mãe
+ Conheça a eficácia de cada vacina no combate à Covid-19
+ Gracyanne Barbosa dança pole dance com novo visual
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Após processar nora, mãe de Medina a acusa de ter destruído sua casa; veja fotos
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Fondue de chocolate com frutas fácil de fazer
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago