Um imperdível show de luzes na Pequena Nuvem de Magalhães

Imagem que combina dados de raios X, luz visível e infravermelho coletados por diferentes telescópios espaciais mostra a indescritível beleza de uma de nossas vizinhas mais próximas

Pequena Nuvem de Magalhães: esplendor de cores. Crédito: Nasa/CXC/JPL-Caltech/STScI

A ponta da “asa” da Pequena Nuvem de Magalhães é deslumbrante nesta imagem de 2013 dos Grandes Observatórios da Nasa. Trata-se de uma galáxia anã a cerca de 200 mil anos-luz que orbita nossa própria galáxia espiral, a Via Láctea.

As cores representam comprimentos de onda de luz em um amplo espectro. Os raios X do Observatório de Raios X Chandra, da Nasa, são mostrados em roxo; a luz visível do telescópio espacial Hubble, da Nasa/ESA, surge colorida em vermelho, verde e azul; e as observações infravermelhas do telescópio espacial Spitzer, da Nasa, também são representadas em vermelho.

A galáxia espiral vista no canto inferior está realmente atrás dessa nebulosa. Outras galáxias distantes localizadas a centenas de milhões de anos-luz ou mais de distância podem ser vistas espalhadas ao redor da imagem.

Guia de navegadores

A Pequena Nuvem de Magalhães é um dos vizinhos galácticos mais próximos da Via Láctea. Ela tem cerca de 7 mil anos-luz, contém algumas centenas de milhões de estrelas e sua massa é de aproximadamente 7 bilhões de massas solares.

Mesmo sendo uma pequena galáxia, ela é tão brilhante que é visível a olho nu no hemisfério sul e perto do equador. Muitos navegadores, incluindo Fernão de Magalhães, que lhe empresta seu nome, usaram-na para ajudar a encontrar seu caminho através dos oceanos.

Os astrônomos modernos também estão interessados ​​em estudar a Pequena Nuvem de Magalhães (e sua prima, a Grande Nuvem de Magalhães), mas por razões muito diferentes. Como é tão próxima e brilhante, a Pequena Nuvem de Magalhães oferece uma oportunidade de estudar fenômenos que são difíceis de examinar em galáxias mais distantes. Novos dados do Chandra sobre a Pequena Nuvem de Magalhães forneceram uma dessas descobertas: a primeira detecção de emissão de raios X de estrelas jovens, com massas semelhantes à do nosso Sol, fora da Via Láctea.

Veja também
+ Casamento de Ana Maria Braga chega ao fim após marido maltratar funcionários, diz colunista
+ Conheça a eficácia de cada vacina no combate à Covid-19
+ Veja fotos de Karoline Lima, novo affair de Neymar
+ Lázaro Barbosa consegue fugir de novo da polícia após tiroteio
+ Gracyanne Barbosa dança pole dance com novo visual
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Após processar nora, mãe de Medina a acusa de ter destruído sua casa; veja fotos
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Fondue de chocolate com frutas fácil de fazer
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago