• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Anuncie
Assine
Revista Planeta
MenuMenu
FECHAR
  • Home
  • Astronomia
  • Arqueologia
  • Ciência
  • Viagem
  • Espiritualidade
  • Siga-nos:Facebook
Astronomia29/11/2021

Um resultado possível do choque de dois buracos negros: luz

Concepção artística do fenômeno GW190521g: possível primeira detecção de luz originária da colisão de buracos negros. Crédito: Caltech/R. Ferida (Ipac)

29/11/21 - 06h44min

A concepção artística reproduzida acima mostra um buraco negro supermassivo rodeado por um disco de gás. Embutidos nesse disco estão dois buracos negros menores que podem ter se fundido para formar um novo buraco negro.

Quando dois buracos negros giram em torno um do outro e colidem, eles enviam ondas gravitacionais – ondulações no espaço e no tempo que podem ser detectadas com instrumentos extremamente sensíveis na Terra. Como os buracos negros e as fusões de buracos negros são completamente escuros, esses eventos são invisíveis para os telescópios e outros instrumentos de detecção de luz usados ​​pelos astrônomos. No entanto, os teóricos tiveram ideias sobre como uma fusão de buraco negro poderia produzir um sinal de luz fazendo com que material próximo irradiasse.

Agora, cientistas que usam o levantamento astronômico do céu Zwicky Transient Facility (ZTF), do Instituto de Tecnologia da Califórnia (Caltech), localizado no Observatório Palomar, perto de San Diego, podem ter detectado o que poderia ser esse cenário. Se confirmado, será o primeiro clarão de luz conhecido de um par de buracos negros em colisão.

A fusão foi identificada em 21 de maio de 2019, por dois detectores de ondas gravitacionais – o observatório de ondas gravitacionais do interferômetro a laser da National Science Foundation dos EUA, ou Ligo, e o detector europeu Virgo – em um evento denominado GW190521g. Essa detecção permitiu aos cientistas do ZTF procurar sinais de luz do local onde o sinal da onda gravitacional se originou. Esses detectores de ondas gravitacionais também captaram fusões entre objetos cósmicos densos chamados estrelas de nêutrons, e os astrônomos identificaram as emissões de luz dessas colisões.

Saiba mais
+ Carolina Dieckmann pede R$ 9 milhões por mansão no Rio
+ IPVA 2022 SP: veja como consultar e pagar o imposto
+ Um gêmeo se tornou vegano, o outro comeu carne. Confira o resultado
+ Reencarnação na história: uma crença antiquíssima
+ O que se sabe sobre a flurona?
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua

buraco negro