Uma ‘cachoeira de estrelas’ pelas lentes do Hubble

A predominância de azul indica que as estrelas observadas são quentes; as temperaturas de algumas delas são seis vezes as observadas no Sol

A galáxia UGCA 193: profusão de estrelas jovens. Crédito: ESA/Hubble & Nasa, R. Tully. Agradecimento: Gagandeep Anand

A galáxia UGCA 193, vista aqui pelo Telescópio Espacial Hubble, da Nasa/ESA, está situada na constelação de Sextants (O Sextante).

Semelhante a uma cachoeira, a UGCA 193 parece hospedar muitas estrelas jovens, especialmente em sua parte inferior. Isso cria uma impressionante névoa azul e a sensação de que as estrelas estão caindo “de cima”.

A cor azul da UGCA 193 indica que as estrelas que vemos são quentes. Algumas delas têm temperaturas superiores a 6 vezes a do nosso Sol.

LEIA TAMBÉM: Estrelas quentes “sofrem” de manchas magnéticas gigantes

Sabe-se que as estrelas mais frias parecem mais vermelhas aos nossos olhos, enquanto as estrelas mais quentes parecem mais azuis. Como a massa e a temperatura da superfície de uma estrela (e, portanto sua cor) estão ligadas, estrelas mais pesadas são capazes de “queimar” em temperaturas mais altas. Isso resulta em um brilho azul emanado de sua superfície.

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA
+ Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus
+ Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança