Urso-polar grafitado desperta ultraje nas redes sociais

Vídeo enviado do extremo leste da Rússia mostra urso-polar com a inscrição "T-34" pintada em seu dorso

Cena do vídeo em que é visível a pintura no urso-polar: provável "trabalho de brincalhões". Crédito: S. Kavry

Um vídeo postado no Facebook em 1º de dezembro por Sergey Kavry, funcionário da organização ambientalista World Wildlife Fund (WWF), causou ultraje em redes sociais ao mostrar um urso-polar pesado cujos pelos das costas foram pintados com “T-34”, o nome de um antigo tanque da União Soviética, segundo a rede americana CNN.

Nos comentários, Kavry disse que havia obtido o vídeo via WhatsApp de minorias indígenas em Chukotka, no extremo leste da Rússia. O vídeo, porém, não deixa claro o local onde a cena foi filmada.

O grafite é um infortúnio a mais para esses predadores, condenados a buscar alimento cada vez mais longe em virtude da retração do gelo marinho causada pelo aquecimento do Ártico. A filial russa do WWF divulgou um relatório em agosto alertando que os moradores da vila costeira de Ryrkaipiy, na região de Chukotka, começaram a “encontrar ursos-polares perto do assentamento”.

LEIA TAMBÉM: O Ártico derrete e abre novas rotas de exploração

Kavry disse estar preocupado com a capacidade do urso-polar de sobreviver na natureza: “Por quê? Agora ele não será capaz de caçar despercebido”.

Anatoly Kochnev, pesquisador sênior da Academia Russa de Ciências, disse à agência de notícias estatal russa RIA Novosti que, embora seja provável que a tinta preta possa ser lavada, o urso-polar pode achar difícil usar seu dorso pintado como camuflagem enquanto caça.

Não se sabe por que o animal foi grafitado. Kochnev disse que provavelmente era o trabalho de “brincalhões”.