• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Anuncie
Assine
Revista Planeta
MenuMenu
FECHAR
  • Home
  • Astronomia
  • Arqueologia
  • Ciência
  • Viagem
  • Espiritualidade
  • Siga-nos:Facebook
Featured29/06/2022

Usuários de maconha passam mais por pronto atendimento e hospitalização

Crédito: Peggy_Marco/Pixabay

29/06/22 - 10h55min

As visitas ao pronto atendimento e as hospitalizações são 22% maiores entre os indivíduos que usam maconha em comparação com aqueles que não usam, de acordo com um novo estudo. O trabalho, publicado na revista BMJ Open Respiratory Research e liderado por pesquisadores da Unity Health Toronto e ICES (Canadá), descobriu que lesões físicas graves e problemas respiratórios foram as duas principais causas de visitas ao pronto-socorro e hospitalizações entre usuários de cannabis.

As descobertas sugerem uma associação entre o uso da maconha e eventos negativos para a saúde, que os pesquisadores dizem que deve sublinhar a necessidade de educar e lembrar o público dos impactos nocivos da cannabis na saúde. O uso recreativo de cannabis aumentou no Canadá desde sua descriminalização, em outubro de 2018.

“Nossa pesquisa demonstra que o uso de cannabis na população em geral está associado a um risco aumentado de resultados negativos clinicamente graves, especificamente, a necessidade de se apresentar a um pronto-socorro ou ser internado em um hospital”, disse o dr. Nicholas Vozoris, principal autor, especialista em respirologia do St. Michael’s Hospital de Toronto (Canadá) e cientista associado do Instituto de Conhecimento Li Ka Shing do hospital.

Eventos negativos

“Ao contrário do tabaco, há alguma incerteza ou controvérsia em relação aos impactos adversos à saúde da cannabis”, prosseguiu ele. “Alguns indivíduos podem perceber que a cannabis tem alguns benefícios para a saúde e é benigna. Nossa pesquisa destaca, para aqueles que usam – ou consideram usar – cannabis, que esse comportamento está associado a importantes eventos negativos de saúde.”

Para comparar os resultados de saúde entre usuários  e não usuários de cannabis, os pesquisadores usaram dados coletados em uma pesquisa com indivíduos que relataram uso da erva e os vincularam a dados administrativos de saúde do ICES para residentes de Ontário (província canadense onde fica Toronto) com idades entre 12 e 65 anos.

Usando a correspondência de pontuação de propensão – uma técnica de correspondência estatística –, os pesquisadores compararam os resultados de saúde de quase 4.800 indivíduos que relataram qualquer uso de cannabis nos 12 meses anteriores com os resultados de saúde de mais de 10 mil indivíduos que relataram nunca ter usado cannabis ou ter usado cannabis apenas uma vez e há mais de 12 meses. Os pesquisadores incorporaram 31 variáveis ​​diferentes ao combinar os participantes do estudo para minimizar uma comparação injusta, incluindo dados demográficos, múltiplas doenças de saúde física e mental e uso de tabaco, álcool e drogas ilícitas.

O objetivo principal do estudo foi explorar se havia uma ligação entre o uso de cannabis e hospitalização relacionada à respiração ou visitas ao pronto-socorro. Os pesquisadores não encontraram associações significativas entre o uso de cannabis e consultas de emergência relacionadas à respiração, hospitalizações ou morte por qualquer causa. No entanto, eles descobriram que as visitas gerais ao pronto-socorro ou hospitalizações por qualquer motivo foram significativamente maiores entre os usuários de cannabis.

Desencorajamento

Além de ter maiores chances de ir ao pronto-socorro ou ser hospitalizado, os resultados mostram que uma em cada 25 pessoas que usam cannabis irá ao pronto-socorro ou será internada no hospital dentro de um ano após o uso de cannabis.

Entre os motivos pelos quais os usuários de cannabis foram ao pronto-socorro ou foram hospitalizados, o trauma agudo – definido como lesão corporal – foi o mais comum, com 15% dos usuários que receberam atendimento médico por esse motivo e 14% recebendo atendimento por razões respiratórias.

“Os resultados de nossa pesquisa apoiam que os profissionais de saúde e o governo devem desencorajar o consumo recreativo de cannabis na população em geral. Dado o contexto de descriminalização da cannabis no Canadá, que muito provavelmente facilitou o uso mais amplo desse produto na população, mais esforços precisam ser feitos por nossos líderes políticos e de saúde para educar e lembrar os cidadãos sobre os impactos nocivos da cannabis na saúde”, disse Vozoris, que também é cientista do ICES.

Saiba mais

+ CPF do remetente deverá constar nas encomendas enviadas pelos Correios
+ Por que Saturno é tão temido?
+ Astrônomos chegam a consenso sobre a idade do universo
+ Fã ‘faz diagnóstico’ de hérnia em Rafa Kalimann, que confirma
+ Corpo de responsável por câmeras de clube onde petista foi assassinado é encontrado no Paraná
+ Por que Saturno é tão temido?
+ Veja objetos, símbolos e amuletos que atraem riqueza
+ Anitta conta o que a levou a fazer tatuagem no ânus
+ Ancestral humano desconhecido deixou pegadas estranhas na África


BMJ Open Respiratory Research