Vacina intranasal contra covid-19: duas versões promissoras

Um estudo americano e um chinês indicam que vacinas contra o novo coronavírus administradas pelo nariz ofereceram proteção para animais

Vacina intranasal: possibilidade aventada em dois estudos, dos EUA e da China. Crédito: James Gathany, Dr. Bill Atkinson, USCDCP/Pixnio

Dois estudos internacionais sugerem que candidatas a vacina contra a covid-19 na forma de aerossol, de administração intranasal, oferecem proteção contra a infecção por SARS-CoV-2 em animais.

Segundo trabalho coordenado por pesquisadores da Escola de Medicina da Universidade Washington, em St. Louis, no estado norte-americano do Missouri, uma única dose de imunizante desse tipo evitou que camundongos desenvolvessem a doença depois de terem sido expostos ao coronavírus (“Cell”, 19 de agosto). Os roedores tinham recebido receptores humanos que se ligam à proteína spike, usada pelo SARS-CoV-2 para invadir as células. Os animais tinham o vírus em seus pulmões, mas eles não foram afetados pelo patógeno.

LEIA TAMBÉM: Cristiana Toscano: esforço global inédito para vacina contra covid-19

Em outro estudo, uma equipe do Primeiro Hospital Afiliado da Universidade Médica de Guangzhou, da China, obteve resultado semelhante com uma vacina intranasal e também com sua versão injetável em macacos rhesus (“Nature Communications”, 21 de agosto).

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA
+ Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus
+ Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança