Vídeo em 3D mostra danos ao pulmão de paciente com Covid-19

Imagens foram feitas usando o caso de um paciente americano de 59 anos e buscam instruir a população sobre a gravidade da doença

Imagem do vídeo preparado por médicos americanos: o vírus tem ação rápida e agressiva. Crédito: Hospital da Universidade George Washington

Um grupo de médicos do Hospital da Universidade George Washington (EUA) compartilhou um vídeo que mostra os danos da Covid-19 nos pulmões de um paciente. As imagens em 3D são de um paciente de 59 anos que, antes de ser infectado pelo coronavírus, já apresentava pressão alta. Com o quadro agravado, ele atualmente respira por aparelhos e está ligado a uma máquina que trabalha na oxigenação do seu sangue.

Em entrevista à rede de TV CNN, o médico Keith Mortman, chefe de cirurgia torácica no hospital, observou: “Este não é um paciente diabético, imunossuprimido, com 70, 80 anos de idade. Além da pressão alta, ele não tem outros problemas médicos significativos. Esse é um sujeito que cuida da própria vida”.

Além de ajudar outros profissionais da saúde a terem mais informações sobre a doença, o vídeo foi divulgado pelos médicos com o objetivo de alertar a população sobre os riscos do vírus SARS-CoV-2 e a importância do distanciamento social na contenção da pandemia. Os americanos seguem o exemplo de colegas chineses que, no início deste mês, compartilharam imagens de raios X e ressonâncias magnéticas com as mesmas intenções.

LEIA TAMBÉM: Novas imagens mostram o coronavírus matando célula humana

“[O coronavírus] entra nas membranas mucosas e depois no pulmão”, explicou Mortman. “A maneira como o corpo tenta controlar isso resulta em inflamação. (…) Assim, em relação ao que você está vendo no vídeo, essencialmente a parte azul é o pulmão mais normal, mas qualquer coisa que você está vendo amarela é pulmão que está sendo destruído pelo vírus.”

Rapidez e agressividade

De acordo com Mortman, quando os pulmões deparam com uma infecção viral, o órgão começa a “selar” o vírus para isolá-lo. A animação mostra, porém, que no caso do novo coronavírus os danos não ficam contidos em apenas em uma região – uma evidência da rapidez e da agressividade com que o novo coronavírus se dissemina.

Ao impedir a oxigenação do sangue, a inflamação pulmonar acarreta uma sobrecarga de dióxido de carbono no organismo. Com isso, o paciente fica ofegante e passa a tossir. “Então você tem esse processo inflamatório bem forte nos pulmões na tentativa do corpo de controlar a infecção”, observou o médico.

Pacientes com insuficiência respiratória progressiva, como é o caso do homem mostrado no vídeo, rapidamente passam a apresentar lesões generalizadas nos pulmões. “Infelizmente, uma vez danificados nesse grau, os pulmões podem demorar muito para cicatrizar”, afirmou Mortman.

“Muitos de nós estamos caminhando no escuro com isso”, observou o médico. “Portanto, queremos entender [a doença] da melhor maneira possível. Este foi nosso primeiro paciente, mas tenho certeza de que ele é o primeiro do que provavelmente serão muitos nas próximas semanas.”

Ele acrescentou: “Quero que as pessoas vejam [esse vídeo] e entendam o que essa doença pode fazer. As pessoas precisam levar [a Covid-19] a sério. (…) Assim, talvez elas pensem duas vezes antes de organizar uma festa em casa ou sair em grandes grupos.”

Veja também

+ Invasão de vespas assassinas aumenta tensão com 2020 nos EUA
+ Anticoagulante reduz em 70% infecção de células pelo coronavírus
+ Assintomáticos: 5 dúvidas sobre quem pega o vírus e não tem sintomas
+ 12 dicas de como fazer jejum intermitente com segurança