Volta ao mundo

LÁ COMO CÁ, A DEVASTAÇÃO IMPERA

O caminhão carregado de toras passa rumo a uma serraria. Na beira da estrada, o indígena vê o desaparecimento do patrimônio natural da sua terra cada vez mais devastada. A foto foi feita no distrito de Baram, em Sarawak, Estado da Malásia na ilha de Bornéu. Mas poderia perfeitamente ter sido tirada na Amazônia. Nos dois lados do mundo, a mesma ganância irresponsável faz tábula rasa das maiores florestas tropicais existentes (mas cada vez menores) na face da Terra.

ANALGÉSICO NATURAL

O rato-toupeira pelado é considerado um dos mamíferos mais bizarros do mundo por não ter pêlos e ser pecilotermo – animal que possui sangue frio. Quanto mais se estuda este roedor, mais exótico ele se torna. Os últimos estudos mostraram que o rato é imune à sensação de queimação – associada à pimenta e a ácidos em contato com a pele – e a dores musculares. A insensibilidade permite que esses roedores tolerem a acidez de seus esconderijos, provocada pela formação de ácido carbônico a partir do CO2 exalado em contato com as paredes úmidas das tocas. As descobertas também podem auxiliar no desenvolvimento de analgésicos.

Energia alternativa

Cientistas da Comissão de Energia Atômica, em Grenoble, França, sob a liderança de Jean-Jacques Chaillout, criaram sensores com materiais piezoelétricos – que convertem energia mecânica em elétrica – para transformar a energia dos pingos de chuva em eletricidade. Cada sensor é capaz de produzir um watt por hora, por metro quadrado. Isso é pouco: a quantidade de eletricidade é um milhão de vezes menor que a gerada a partir de energia solar. O projeto, ainda em fase experimental, não se mostra muito eficaz, mas é uma nova alternativa de energia. Segundo os cientistas, o novo método ainda poderá ser aplicado em torres de resfriamento de estações de energia nuclear.

Terra no menu

Geofagia (ingestão de terra) é uma prática normal entre os animais. A terra é rica em minerais, como o ferro, facilita a digestão e diminui a “dor de fome”. Os chimpanzés ugandenses inventaram uma nova moda para o aperitivo: um punhado de folhas Trichilia rubescens misturadas com terra. Segundo os cientistas, a combinação com a terra ativa propriedades antimaláricas da planta. Mas pesquisadores ainda estudam em quais quantidades isso acontece e o porquê do efeito do alimento.

Último suspiro

Se os pingüins-imperadores fossem carros, estariam sempre de tanque vazio. Esses animais antárticos conseguem mergulhar até 500 metros de profundidade, permanecendo embaixo da água por mais de 23 minutos. Quando eles emergem, quase não têm oxigênio no sangue ou nos pulmões. Pesquisadores chegaram a essas constatações depois de terem equipado os animais com sensores de oxigênio e gravadores. Caso estivessem na mesma situação dos pingüins, os seres humanos apresentariam lesões no corpo todo e poderiam até desmaiar no meio do percurso. Esses bons nadadores, no entanto, sempre estão prontos para outro mergulho.

Robô-foca reduz a depressão

O nome dele é Paro. Seu corpo parece o de uma foca, mede 57 centímetros, é coberto por pêlo artificial, emite os sons das focas, e sempre se comporta de forma carinhosa quando recebe agrado. Esse robô foi parar no Guinness, livro dos recordes, como “o mais terapêutico do mundo”. Paro foi criado pelo Instituto Nacional de Ciência Industrial Avançada e de Tecnologia do Japão, para ser usado no cuidado de idosos. Os testes mostram que esse robô-foca reduz o estresse e a depressão. Paro é comercializado no Japão há três anos por 350 mil ienes, aproximadamente R$ 6 mil.

DEBAIXO DA CHUVA

Uma vendedora espera por clientes sentada na rua, embaixo da chuva, em Srinagar, na Caxemira, Índia. Ao longo de todo o inverno, ocorrem vários óbitos no sul da Ásia, uma vez que a pobreza obriga muita gente a viver nas ruas ou em edificações frágeis construídas para abrigar pessoas durante o verão. De acordo com um oficial, em 2007, o número de mortes provocadas pelos acidentes ocorridos nessa estação do ano subiu para 90.

Pensamento vira comando de computador

Desenvolvido pelo Instituto de Automação da Universidade de Bremen (Alemanha), o aparelho Brain-Computer Interface (BCI) converte sinais cerebrais em comandos de computador. O BCI foi apresentado na feira CeBIT, em Hanover, na Alemanha. Os cientistas acreditam que o equipamento será muito útil às pessoas que perderam os movimentos, inclusive a fala, pois, futuramente, podem ser criados comandos para pegar água ou navegar na internet.

União para salvar gorilas

Uganda, Ruanda e República Democrática do Congo se unem para salvar os gorilasde- montanha, que habitam o Parque de Virunga, localizado em uma área comum entre os três países africanos. O projeto está previsto para durar pelo menos dez anos e pretende conscientizar a população dos danos ecológicos e financeiros trazidos pelo desaparecimento dos animais. Os turistas gastam em média R$ 860 para fazer uma visita guiada e ver os gorilas-de-montanha. Assim, os três países faturam uns R$ 8,6 milhões ao ano. Os animais também são protegidos por ambientalistas e ONGs, como a Wildlife Direct. Os gorilas-de-montanha são uma espécie ameaçada de extinção: restam apenas cerca de 700 animais, dos quais 370 habitam Virunga.

Jardins suspensos

A empresa japonesa Suntory desenvolveu um solo artificial, o Pafcal, especialmente para se criar um jardim nos telhados e nas paredes das casas. O Pafcal é mais esponjoso e leve que a terra e nele podem ser plantadas várias espécies de flores, arbustos e gramas.

Apenas 450 gramas do solo artificial podem reter tanta água quanto um quilo de terra. O objetivo dos futuros “jardins suspensos” é refrescar a temperatura nas grandes cidades. Foi constatado que a temperatura de uma moradia com telhado coberto pelo Pafcal pode ser até dez graus inferior à de um imóvel de telhado de madeira.

Mercadorias de graça

Em Berlim (Alemanha), a Loja Gratuita, que completou dez anos de existência, é um estabelecimento de onde o freguês pode levar qualquer objeto, desde roupa a eletrodomésticos, sem precisar dar nada em troca – nem dinheiro, nem objetos do mesmo valor. Essa loja não objetiva fazer obra de caridade, e sim mover uma ação anticapitalista e ecológica que visa reciclar os bens. As mercadorias, que precisam estar em boas condições, são doadas por voluntários e levadas por clientes tanto ricos quanto pobres. A idéia é evitar o desperdício: o objeto que determinada pessoa não quer pode ser útil a outra pessoa, e assim por diante. Como houve uma época em que os produtos adquiridos gratuitamente iam parar em mercados clandestinos, a loja estabelece um consumo máximo por cliente, que é de três objetos.

À LUZ DE VELAS

O recente fechamento dos postos de fronteira entre Israel e a Faixa de Gaza, e os bombardeios da região por parte das forças armadas israelenses, não provocaram apenas carestia de gêneros alimentícios e remédios. Por falta de combustível, a usina termoelétrica de Gaza parou de funcionar. Resultado: em pleno inverno, a população palestina ficou sem luz e eletricidade. Sobraram as velas acesas, que as mulheres palestinas carregaram em passeata de protesto.

Festa cigana homenageia SANTA SARA KALI

A exemplo do que vem fazendo nos últimos 15 anos, a família Sbano, uma das mais tradicionais desse alegre povo, está promovendo uma festa em homenagem a Santa Sara Kali, padroeira dos ciganos. Na edição deste ano, o evento apresenta uma novidade: será feita uma confraternização entre os ciganos e os gadjés (não-ciganos), unindo a força e a fé dos presentes, para que numa única voz seja pedida a intercessão de Santa Sara Kali pela paz mundial e pela união entre os povos. Além desse momento de reflexão coletiva, a festa tem atrações imperdíveis, especialmente para quem gosta de conhecer outras culturas. É o caso da apresentação de grupos de dança cigana e de músicos ciganos, show circense e a participação da banda cigana Raty Rromá. No local também funcionará uma exposição com artesanato típico cigano, como os trajes, bijuterias e acessórios, além de um grupo de místicos que fará a leitura da sorte com o tarô, cartas, runas e baralho cigano, entre outros. O evento conta sempre com a iniciativa e o apoio da Hipermercado Andorinha. Anote o dia e o local: a festa acontece no próximo dia 26 de abril, a partir das 20 horas, no CMTC Clube, na avenida Cruzeiro do Sul, 808, Zona Norte, São Paulo, SP. Informações pelos telefones (11) 2231-4357, 2231-8107 e 3859-6883.

Viscoso, mas gostoso

Em conferência da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), em Chiang Mai, Tailândia, especialistas analisaram o potencial comercial e nutricional de mais de mil espécies de insetos consumidos no mundo. Tendo em vista os benefícios trazidos por estes pequenos seres, os cientistas pretendem incentivar mais pessoas a adotar dietas à base de insetos. Dos comestíveis, 527 fazem parte da dieta de 36 países africanos, 29 asiáticos e 23 americanos. Os mais populares no cardápio são os escaravelhos, gafanhotos, grilos, formigas, abelhas e borboletas, segundo a ONU. Patrick Durst, especialista da FAO, ainda argumenta que para aumentar o consumo de insetos as empresas devem investir em novas embalagens e propagandas. Com o aumento da demanda por insetos, mais ofertas de empregos surgirão e haverá maior desenvolvimento da área rural em países como a Tailândia.

Lobo fora de perigo

A região de Northern Rockies, no Alasca (EUA), já conta com uma população de cerca de 1,5 mil lobos cinzentos, o que representa uma vitória para os preservacionistas, pois esses animais constavam na lista das espécies em extinção. O lobo cinzento foi quase exterminado no Alasca no início do século 20 e foram necessários 13 anos de campanhas e esforços para que a espécie não desaparecesse do planeta. Apesar disso, novas medidas devem ser tomadas para que o animal continue fora de perigo. Afinal, por ser um exímio predador, prejudica os fazendeiros, que já reclamam do aumento da população de lobos. Mas os ambientalistas afirmam que ainda é muito cedo para retirar a espécie da lista.

COMPARTILHAR
blog comments powered by Disqus