Volta ao mundo

Inferno na floresta

Uma das áreas de Fort McMurray devastadas pelo fogo: as condições climáticas na época do início do incêndio estão associadas ao fenômeno El Niño
Uma das áreas de Fort McMurray devastadas pelo fogo: as condições climáticas na época do início do incêndio estão associadas ao fenômeno El Niño

O incêndio florestal iniciado em 1º de maio no centro-norte de Alberta, no Canadá, é por enquanto o terceiro maior dessa província, com quase 5.900 km2 de matas destruídas pelo fogo em 8 de junho, e ainda não tem previsão para acabar. Incêndios nas florestas canadenses não são incomuns, mas este já marcou época por forçar uma das maiores evacuações do gênero na história do país: a de cerca de 88 mil habitantes de Fort McMurray (situada a 15 km do primeiro foco de incêndio e duramente atingida pelo fogo) e de cidades vizinhas. Centro urbano mais importante da região das areias oleosas que tornaram o Canadá um grande produtor de petróleo, Fort McMurray perdeu cerca de 2.400 edificações, mas o número de mortes se limitou a duas pessoas, envolvidas em um acidente automobilístico na fuga do incêndio. Companhias petrolíferas como a Shell interromperam suas atividades na área de areias oleosas por conta do avanço do fogo. Não se sabe ainda a origem do incêndio, mas ele contou com uma grande ajuda climática: no início, as temperaturas na região estavam anormalmente altas, acima de 30° C, e a umidade relativa do ar rondava 12%, refletindo condições associadas ao fenômeno El Niño. Por enquanto, calcula-se que a destruição tenha causado prejuízos de até US$ 4,7 bilhões nas comunidades atingidas, além de US$ 1 bilhão nos campos de areia oleosa paralisados.

 

Megatúnel alpino

O túnel vai facilitar substancialmente o transporte de cargas entre o centro e o sul da Europa
O túnel vai facilitar substancialmente o transporte de cargas entre o centro e o sul da Europa

A perseverança suíça e muito dinheiro estão dando ao mundo mais uma obra excepcional de engenharia. O Túnel de Base de São Gotardo (TBSG), o mais longo e profundo do gênero, foi inaugurado em junho, após 17 anos de trabalho (que incluiu cortar rochas sólidas a profundidades de até 2.300 metros) e investimentos de US$ 12 bilhões. Os dois túneis gêmeos, um em cada direção, entre Erstfeld (Suíça) e Bodio (Itália), eliminam a barreira representada pelos Alpes e facilitam a comunicação ferroviária entre o centro e o sul da Europa, beneficiando diretamente, além da Suíça, a Alemanha, a França e a Itália. Além de permitir um transporte maior de cargas, o túnel vai ajudar a combater a poluição regional, já que boa parte das mercadorias enviadas antes por caminhões passará a ser levada por ferrovia. Os testes com trens já começaram e o túnel deverá entrar em operação comercial até o fim do ano. Confira a seguir os principais números relativos ao megatúnel.

4_PL522_VOLTA3

 

4_PL522_VOLTA11segundos será o intervalo médio entre duas mortes causadas por superbactérias em 2050, caso medidas não sejam tomadas agora, adverte um estudo encomendado pelo governo britânico. O trabalho propõe um investimento de bilhões de dólares em ações como uma revisão na forma de uso dos antibióticos e uma campanha maciça de educação de seus usuários.

 

Irrigar para fazer chover

Irrigação: importante também para produzir chuva
Irrigação: importante também para produzir chuva

Um estudo americano publicado em maio na Nature Geoscience mostra que a irrigação de lavouras é importante não só para o cultivo: ela joga no ar restos microscópicos de plantas e animais mortos, ótimos para compor nuvens chuvosas. Essas partículas ajudam a água a congelar e estimulam o rápido crescimento das gotas de chuva. Alexander Laskin e sua equipe do Laboratório Nacional do Noroeste do Pacífico descobriram que ao menos um terço da poeira levada pelo ar em áreas agrícolas é orgânica e chega lá graças a chuvas recentes.

 

Cidade que afunda

Nova Orleans: ameaçada pelas águas
Nova Orleans: ameaçada pelas águas

Partes de Nova Orleans, cidade da Louisiana (sul dos EUA) localizada abaixo do nível do mar, estão afundando em ritmo acelerado, informa um estudo publicado em maio na revista Journal of Geophysical Research. A pesquisa, realizada entre 2009 e 2012, usou radar e GPS na coleta de dados. A região mais afetada é Michoud, entre os lagos Pontchartrain e Borguen, que está afundando entre 1,2 cm e 2,6 cm por ano. Outra área, a Upper 9th Ward, apresenta números apenas um pouco menores. Segundo os pesquisadores, um dos principais motivos do afundamento é a retirada de água subterrânea do subsolo da cidade.

 

Recrutamento ético

Trabalhadores migrantes: menor exploração com a criação do grupo de multinacionais
Trabalhadores migrantes: menor exploração com a criação do grupo de multinacionais

As multinacionais Coca-Cola, HP Inc., Hewlett Packard Enterprise, Ikea e Unilever criaram o Grupo de Liderança para Recrutamento Responsável, dedicado a promover o recrutamento ético e combater a exploração de migrantes em cadeias globais de suprimentos em indústrias. Essas empresas adotaram o princípio “o empregador paga”, pelo qual só apenas o contratante responde pelos custos de recrutamento. A promessa de melhores salários pode levar trabalhadores pouco qualificados a pagar altas taxas de recrutamento, endividando-se e entrando em situações de trabalho forçado. O grupo defenderá o princípio em suas indústrias e incentivará outras empresas a abraçar a causa, além de criar um guia prático para apoiar essa mobilização.

 

Atração poluída

Fonte de Morning Glory: as cores verde e amarela são influência direta dos humanos
Fonte de Morning Glory: as cores verde e amarela são influência direta dos humanos

A fonte termal de Morning Glory, no Parque Nacional Yellowstone, em Wyoming (EUA), mudou de cor por interferência unicamente humana. Quem dá a tonalidade ao local são bactérias que resistem às altas temperaturas da água, mas elas originariamente eram azuis. O amarelo e o verde que aparecem na foto são efeito das moedas e dos escombros que os turistas jogam no local.

 

França encharcada

O Sena avança sobre suas margens: efeito de um maio ultrachuvoso na França
O Sena avança sobre suas margens: efeito de um maio ultrachuvoso na França

O mês de maio mais úmido dos últimos cem anos na França proporcionou cenas raras em vários pontos do país. A foto ao lado, de 2 de junho, ilustra quanto o nível do rio Sena subiu em Paris – o pico foi de cerca de seis metros. A inundação, a maior em 30 anos, fez o rio avançar sobre suas margens e obrigou os museus do Louvre e D’Orsay, próximos do leito, a fechar para que obras guardadas nos subsolos fossem postas a salvo. Uma bilheteria que atende aos interessados em passeios de barco pelo Sena ficou praticamente submersa. Funcionários do governo alertaram que o rio poderia levar semanas para voltar ao seu nível normal.

 

Natureza como professora

Ekôa Park: educação, lazer e aventura para todos os públicos
Ekôa Park: educação, lazer e aventura para todos os públicos

Um parque inovador no Brasil está nascendo no município de Morretes, no litoral do Paraná. Em 233 hectares de floresta de Mata Atlântica, o Ekôa Park pretende oferecer aprendizado, lazer e aventura a todos os interessados, de crianças a adultos. As várias atrações incluem trilhas no meio da mata estruturadas com objetivos pedagógicos, uma vila na qual os visitantes podem aprender conteúdos sobre a biodiversidade da Mata Atlântica, a colonização do litoral sul do país e a cultura regional, e um voo de balão, que sobe 80 metros para os passageiros observarem a área preservada. No espaço EkoSocial, pode-se conhecer e aprender práticas de sustentabilidade e respeito à natureza. O Ekôa Park deverá abrir suas portas para escolas em julho, e para o público em geral até outubro.

 

4_PL522_VOLTA12centímetros a mais na circunferência abdominal representam 13% a mais de o homem desenvolver câncer de próstata, segundo um estudo europeu apresentado na Cúpula de Obesidade Europeia, na Suécia, em junho. De acordo com a Universidade de Oxford, na Inglaterra, o maior grupo de risco é o de homens com cintura acima de 94 centímetros.

 

Bebê panda

4_PL522_VOLTA10

O zoológico Pairi Daiza, da Bélgica, tem muitos motivos para comemorar: a panda gigante Hao Hao, emprestada aos belgas pela China, deu à luz um filhote no início de junho. Em uma declaração conjunta, o zoológico e o Centro de Pesquisa e Conservação do Panda Gigante da China afirmaram ter o “grande prazer” de anunciar o nascimento de um filhote de panda e ressaltaram: “Menos de 2 mil pandas podem ser encontrados na natureza, o que torna cada nascimento um milagre”. O filhote certamente se tornará uma atração à parte para os visitantes do zoológico.

COMPARTILHAR