Xadrez proibido

Para o grão-mufti saudita, o xadrez é “perda de tempo”

O grão-mufti (principal líder religioso islâmico) da Arábia Saudita, xeique Abdulaziz al-Sheikh, proibiu o xadrez no país em janeiro, alegando que ele incentiva apostas em dinheiro e é uma perda de tempo. O aiatolá Ruhollah Khomeini também havia vetado o jogo após a Revolução Islâmica de 1979 no Irã, mas no fim da vida concluiu que havia exagerado no caso e desfez a proibição. A fatwa (sentença) do grão-mufti talvez não entre em vigor: como ela veio em resposta a uma consulta específica, pode significar apenas uma opinião particular, em vez de um decreto formal. Os enxadristas do país, pelo menos, não se assustaram com a proibição e o presidente da Federação Saudita, Musa bin Thaily, promete prosseguir com o cronograma de torneios nacionais.

Veja também
+ Casamento de Ana Maria Braga chega ao fim após marido maltratar funcionários, diz colunista
+ Conheça a eficácia de cada vacina no combate à Covid-19
+ Veja fotos de Karoline Lima, novo affair de Neymar
+ Lázaro Barbosa consegue fugir de novo da polícia após tiroteio
+ Gracyanne Barbosa dança pole dance com novo visual
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Após processar nora, mãe de Medina a acusa de ter destruído sua casa; veja fotos
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Fondue de chocolate com frutas fácil de fazer
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago


COMPARTILHAR