• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Anuncie
Assine
Revista Planeta
MenuMenu
FECHAR
  • Home
  • Astronomia
  • Arqueologia
  • Ciência
  • Viagem
  • Espiritualidade
  • Siga-nos:Facebook
Geral23/02/2022

Zelensky alerta para “guerra de grandes proporções” na Europa

Deutsche Welle
Texto por:Deutsche Welle23/02/22 - 22h32min

Presidente ucraniano diz que Moscou já acumula 200 mil soldados na fronteira, e que Putin ignorou tentativa de contato. Separatistas pedem ao Kremlin intervenção militar em Donbass, o que aumenta temores de uma invasão.O presidente da Ucrânia, Volodimir Zelensky, alertou que a Rússia poderá dar início a uma guerra de grandes proporções na Europa nos próximos dias, e pediu que Moscou se abstenha de uma ação militar no território ucraniano.

Em pronunciamento à nação nas primeiras horas desta quinta-feira (24/02), Zelensky afirmou que a Rússia já acumula mais de 200 mil soldados na fronteira com a Ucrânia, além de milhares de veículos de combate.

Os temores de uma invasão russa ao território ucraniano aumentaram nos últimos dias, após o presidente russo, Vladimir Putin, reconhecer formalmente a independência de duas "repúblicas” separatistas no leste do país e receber permissão do Parlamento para enviar tropas à região.

O líder ucraniano foi enfático ao afirmar que uma invasão ao seu território poderia "marcar o início de uma grande guerra no continente europeu”.

Zelensky disse que tentou entrar em contato com Putin, mas o líder russo se recusou a atendê-lo. O ucraniano rejeitou as alegações do Kremlin de que seu país representaria alguma ameaça à Rússia, e disse que uma possível invasão iria custar milhares de vidas.

"O povo da Ucrânia e seu governo querem a paz”, afirmou. "Mas, se formos atacados, se enfrentarmos uma tentativa de eliminarem o nosso país, nossa liberdade e as vidas de nossas crianças, vamos nos defender. Quando nos atacarem, verão nossos rostos, não as nossas costas.”

Kiev declarou um estado de emergência de 30 dias, o que permite ao governo adotar medidas excepcionais para reforçar a segurança e o policiamento em todo o território, com a exceção das regiões separatistas de Donetsk e Lugansk.

Separatistas pedem intervenção de Moscou

O Kremlin informou que os líderes das regiões separatistas pediram assistência militar à Rússia, alegando a necessidade de se defenderem das "agressões” ucranianas. O anúncio exacerbou os temores de que Moscou buscava um pretexto para enviar suas tropas para além da fronteira.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse que os líderes apelaram a Putin por uma intervenção militar após um ataque ucraniano causar mortes de civis e destruir infraestruturas essenciais nos territórios ocupados.

A porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, afirmou que o pedido dos separatistas é um claro exemplo de uma operação de "bandeira falsa”, através da qual, Moscou tentaria fabricar um motivo para enviar suas tropas para o leste da Ucrânia, algo que os Estados Unidos e seus aliados já vinham alertado há dias.

"Continuaremos a denunciar o que vemos como operações de bandeira falsa ou esforços para disseminar informações falsas sobre o status atual da situação no local”, disse Psaki.

rc (AP, AFP)

Saiba mais
+ Carolina Dieckmann pede R$ 9 milhões por mansão no Rio
+ IPVA 2022 SP: veja como consultar e pagar o imposto
+ Um gêmeo se tornou vegano, o outro comeu carne. Confira o resultado
+ Reencarnação na história: uma crença antiquíssima
+ O que se sabe sobre a flurona?
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua